Mobiliário

Capital do Móvel com negócios de um milhão de euros

D.R.
D.R.

A 51.ª edição da Capital do Móvel permitiu realizar um volume de negócio de cerca de um milhão de euros.

A 51.ª edição da Capital do Móvel, que este domingo terminou em Paços de Ferreira, permitiu realizar um volume de negócio de cerca de um milhão de euros, valor semelhante ao alcançado em agosto do ano passo, disse à Lusa a organização.

“Fazemos um balanço positivo, porque foram fechados muitos negócios”, comentou João Pedro Begonha, diretor executivo da Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEP).

O dirigente referiu que o valor é ainda uma estimativa preliminar, mas a informação recolhida junto dos expositores ao longo do evento aponta para um resultado parecido com o de 2017, o que é considerado positivo.

O certame começou no dia 04 e desde aquele dia terão passado pela Capital do Móvel cerca de 10 mil pessoas, de vários pontos do país, destacando-se também a “presença de muitos espanhóis”, refletindo, anotou, o reforço da aposta que a AEPF fez na promoção do evento na Galiza.

A presença de galegos, em número superior ao registado em 2017, representa também, segundo o dirigente, uma inversão na tendência de diminuição observada nos últimos anos.

Este ano, a feira, no distrito do Porto, apostou ainda mais em atividades paralelas à exposição do mobiliário e decoração.

Espetáculos para várias idades, incluindo crianças, espaço de gastronomia com tasquinhas e ‘workshops’ sobre mobiliário e decoração ministrados por docentes do Instituto Politécnico do Porto ajudaram a preencher o programa e a atrair mais visitantes.

No pavilhão de exposições de Paços de Ferreira, estiveram 60 empresas, que ocuparam cerca de 10.000 metros quadrados, com as últimas propostas de design e moda de mobiliário e decoração, em vários estilos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

Aptoide | Paulo Trezentos | Álvaro Pinto

Portuguesa Aptoide já negoceia com Huawei para ser alternativa à Google

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Capital do Móvel com negócios de um milhão de euros