Habitação

788 euros separam o Algarve da Beira Baixa na avaliação das casas

O Algarve é o destino favorito dos portugueses que optam não sair do país. (Fotografia: André Vidigal/ Global Imagens)
O Algarve é o destino favorito dos portugueses que optam não sair do país. (Fotografia: André Vidigal/ Global Imagens)

Desde março de 2017 que o preço por metro quadrado está a valorizar-se em Portugal. Valor fixou-se em 1256 euros em abril deste ano.

O preço médio das casas voltou a subir, em abril, para um máximo de sempre. O gabinete de estatísticas nacional mostra que no quarto mês deste ano, uma casa de 100 metros quadrados valia, em média, 125,6 mil euros em Portugal. É um aumento de 7,3% face ao mês de março e um recorde absoluto no valor atribuído pelas avaliações para efeitos de atribuição de crédito bancário.

Na prática, o valor médio por metro quadrado fixou-se nos 1256 euros, mais nove euros do que no mês anterior. Mas o país também anda a velocidades diferentes no que diz respeito à avaliação do preço das casas.

No Algarve, a região mais valiosa do País, a avaliação aponta para 1658 euros por metro quadrado. Isto é, uma casa de 100 metros quadrados vale, em média, 165,8 mil euros. Lisboa vem logo atrás, com os valores a situarem-se nos 1530 euros por metro quadrado. O INE destaca ainda que a Madeira (1361 euros/m2), Porto (1248 euros/m2) e Alentejo Litoral (1242 euros/m2) apresentam avaliações superiores à média nacional.

Mas também há regiões onde os preços se apresentam estáveis e inferiores a esta média. Na Beira Baixa (870 euros/m2) e nas Beiras e Serra da Estrela (871 euros/m2), os valores praticados são os mais baixos do País e, se no primeiro até houve uma subida, no segundo caso, os valores estabilizaram.

Na prática, o INE mostra que há uma diferença de 788 euros por metro quadrado no preço praticado no Algarve e na Beira Baixa no âmbito das avaliações bancárias, que servem para a atribuição de crédito.

O INE revela que, quando comparado com março, o valor médio de avaliação dos apartamentos subiu 13 euros, para 1 333 euros/m2 . Nas moradias, o valor médio de avaliação subiu 3 euros, para 1 131 euros/m2 . A nível regional, a maior subida para o conjunto da habitação registou-se na Região Autónoma da Madeira (3,0%), e a menor na Área Metropolitana de Lisboa (0,2%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
788 euros separam o Algarve da Beira Baixa na avaliação das casas