OE2018

Governo quer sacos reutilizáveis e grupo de trabalho para reduzir o plástico

Sacos plásticos. Fotografia:D.R.
Sacos plásticos. Fotografia:D.R.

O primeiro grupo de trabalho terá até 31 de maio para "avaliar a aplicação dos incentivos fiscais associados à redução do consumo de sacos plásticos

O Governo quer que os supermercados passem a fazer as entregas ao domicílio com embalagens reutilizáveis. A medida consta na versão preliminar do Orçamento do Estado a que o Dinheiro Vivo teve acesso, e que será apresentado amanhã.

O documento explicita que os “operadores económicos” devem promover “medidas complementares no domínio do consumo sustentável de sacos de plástico”.

O Governo vai mais longe nas medidas “verdes”, e vai criar dois grupos de trabalho no próximo ano “com vista a promover a descarbonização da sociedade e a transição para a economia circular”.

O primeiro grupo de trabalho terá até 31 de maio para “avaliar a aplicação dos incentivos fiscais associados à redução do consumo de sacos plásticos e a sua aplicabilidade a outros produtos de base plástica descartável de origem fóssil”. Os membros terão de apresentar um relatório com “propostas de medidas de atuação, incluindo prazos de execução”.

Está prevista ainda a criação de outro grupo de trabalho, que terá de apresentar uma proposta até 31 de julho do próximo ano, esta no âmbito da “fiscalidade que incide sobre a energia”.

O objetivo é “identificar e estudar os incentivos prejudiciais ao ambiente e propor a sua eliminação progressiva, bem como propor a revitalização da taxa de carbono, tendo em consideração eventuais impactes nos setores económicos abrangidos, num quadro de descarbonização da economia”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: NUNO FOX/LUSA

Costa: “Depois deste ano nada poderá ficar como antes”

Mário Centeno, ministro das Finanças, com Pierre Moscovici, comissário europeu. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Governo promete a Bruxelas ser bom aluno em 2018

António Mendonça Mendes, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

Mínimo de existência acaba com IRS para 54 mil recibos verdes

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Governo quer sacos reutilizáveis e grupo de trabalho para reduzir o plástico