Economia

Acordo EU-Mercosul: Brasil quer entrar na Europa por Portugal

Murteira Nabo, antigo presidente da PT

“Com acordo EU-Mercosul, os valores de investimento do Brasil em Portugal podiam crescer exponencialmente”, defende Murteira Nabo.

Portugal pode afirmar-se como uma porta de entrada privilegiada para os países do Mercosul entrarem no mercado europeu, quando for assinado o futuro acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul. Negociado há mais de 20 anos, é agora esperado que a assinatura deste acordo histórico possa tornar-se uma realidade até ao final de 2017, prevê Francisco Murteira Nabo, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira (CCILB), que hoje organiza em parceria com a Associação Industrial Portuguesa (AIP) um seminário sobre as Relações Empresariais Portugal-Brasil.

“O Brasil está interessado em entrar na Europa por Portugal, por isso podemos ter um papel fundamental nas ligações comerciais da UE com o Mercosul. Numa economia globalizada em que a competitividade é feira por grandes blocos económicos e cada país tem de se inserir no seu próprio bloco, ganhar escala e competir globalmente”, explicou Murteira Nabo em declarações ao Dinheiro Vivo antes do seminário. Além de porta de entrada na EU, “Portugal também beneficiará muito por via do acordo UE-Mercosul porque terá um maior poder negocial”. O principal alvo, diz o presidente da CCILB, é o enorme mercado do Brasil, que está na mira dos empresários portugueses.

“O Brasil é mercado muito fechado e proteccionista, com uma política fiscal muito intensa. Enquanto não conseguirmos fechar o acordo da UE com Mercosul, não se verificará uma liberalização do mercado brasileiro. Sem acordos comerciais que fomentem um comércio recíproco e promovam uma maior abertura do bloco europeu, sozinhos não conseguimos romper estas barreiras”, defendeu Murteira Nabo, sublinhando: “Com acordo EU-Mercosul, os valores de investimento do Brasil em Portugal podiam crescer exponencialmente”.

Neste momento, há cerca de 600 PME portuguesas (na área dos serviços, sobretudo) a operar no mercado brasileiro e o total do comércio anual com o Brasil ronda os 1,6 mil milhões, com uma divisão equilibrada de 800 milhões para cada lado da balança. “É muito pouco em relação à dimensão e ao potencial do mercado do Brasil. Achamos que podíamos ir mais longe e é esse esforço que estamos a fazer”, refere o presidente da CCILB. Já no final de Abril parte para o Rio de Janeiro e São Paulo uma missão empresarial composta por cerca de 20 empresários portugueses dos setores das energias renováveis, infraestruturas, saúde, entre outros.

Apesar da atual contração económica, o Brasil é a 9ª economia mundial e a 1ª da América Latina, possuindo uma população de cerca de 205 milhões de habitantes, a maior dos países da região. Na opinião do presidente da CCILB, as relações comerciais com o Brasil continuam assim a revestir-se de grande importância para Portugal, quer pelos laços históricos existentes, quer pelo atual posicionamento mundial deste mercado

“Vamos concentrar a missão empresarial na captação de investimento e levar projetos concretos para apresentar e que atraiam os investidores brasileiros, como o Alqueva e o porto de Setúbal, por exemplo”, referiu Murteira Nabo, acrescentando: “Se Portugal se destacar nesta missão empresarial, o Brasil pode investir mais”. Durante a missão serão promovidos encontros com a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro e com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, cujos associados representam 75% do PIB industrial do Brasil, que se estima ser equivalente ao PIB industrial da Península Ibérica.

É precisamente para dar a conhecer aos investidores brasileiros as oportunidades de negócio em Portugal em grandes projetos que a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira (CCILB) organiza hoje o seminário sobre as Relações Empresariais Portugal-Brasil em parceria com a Associação Industrial Portuguesa (AIP). O seminário – onde será também discutido o impacto nos dois países do acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul – conta com intervenções do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e de um responsável da Representação da Comissão Europeia em Portugal, João Tàtá dos Anjos.

No evento será ainda entregue à Sovena o Prémio Anual de Internacionalização da CCILB, na presença do Embaixador do Brasil, por se distinguir como “uma empresa que tem vindo a investir muito no Brasil, em termos de comércio e investimento”, referiu Murteira Nabo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A Deliveroo encabeça a lista.
REUTERS/Phil Noble

Oito portuguesas no ranking 500 de tecnologia da Deloitte

Sindicatos da PT contra a Altice

Sindicatos avançam com ações contra PT

Fotografia: Rui Coutinho / Global Imagens

Défice da balança comercial aumentou em 613 milhões em outubro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Acordo EU-Mercosul: Brasil quer entrar na Europa por Portugal