Energia

AdC insiste na ligação por oleoduto da refinaria da Galp ao porto de Sines

A extensão do oleoduto reforçará a utilização do parque de armazenamento de combustíveis de Aveiras e o acesso a importações competitivas.

A Autoridade da Concorrência (AdC) recomenda a extensão do oleoduto da refinaria da Galp ao porto de Sines, para reforçar a utilização do parque de armazenamento de combustíveis de Aveiras e o acesso a importações competitivas.

Desde o primeiro pacote de medidas para o setor, em 2004, a Concorrência alerta para o elevado grau de concentração e na existência de barreiras à entrada nas atividades de refinação e armazenamento, considerando que deve ser finalizada a ligação por oleoduto da refinaria da Galp ao porto de Sines.

Na análise agora concluída, a AdC destaca que “a Galp continua a ser a empresa que detém a maioria da capacidade de depósitos de importação/refinaria no país, sendo que as suas refinarias garantem quase metade da capacidade de armazenamento de combustíveis em Portugal Continental”.

Assim, o organismo liderado por Margarida Matos Rosa reforça a necessidade de “promoção do acesso às infraestruturas logísticas de combustíveis líquidos”, uma vez que “a existência de condicionalismos ao nível do acesso a infraestruturas logísticas limita a capacidade de importação por parte dos operadores e, como tal, o grau de concorrência no setor”.

Em dezembro de 2016, o Governo anunciou a intenção de avaliar e tomar os procedimentos para o prolongamento do oleoduto que liga o parque de combustíveis de Aveiras, propriedade da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), à refinaria da Galp até ao porto de Sines, mais oito quilómetros para aumentar a concorrência no mercado de combustíveis.

Questionado então sobre a proposta do PS, aprovada então no parlamento, o secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, confirmou à Lusa que “o Governo vai iniciar em 2017 os procedimentos para assegurar a ligação entre a refinaria e o porto [de Sines], o que permitirá ao mercado dos combustíveis funcionar de forma mais aberta e será importante para o Porto de Sines”.

O oleoduto de 147 quilómetros que abastece o parque de armazenamento de combustíveis de Aveiras de Cima termina precisamente na refinaria da Petrogal, pelo que o troço de quase oito quilómetros que o separa do Porto de Sines continua a ser um obstáculo às importações de produtos petrolíferos por barco.

Para o Governo, o prolongamento do oleoduto só fará sentido se acompanhado por uma mudança das regras de utilização das infraestruturas, que estão a cargo da CLC, empresa cujo maior acionista (65%) é a Galp.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
AdC insiste na ligação por oleoduto da refinaria da Galp ao porto de Sines