Adidas vai reduzir gama de produtos para tentar superar a Nike

Adidas e Nike lideram o mercado
Adidas e Nike lideram o mercado

O grupo alemão Adidas, o segundo maior fabricante mundial de equipamento desportivo, vai diminuir a sua gama de produtos em 25% para melhorar a sua rentabilidade, segundo o presidente executivo da empresa, Herbert Hainer.

“Temos demasiados produtos”, afirmou Hainer, destacando que a Adidas oferece quase 47 mil produtos diferentes. “Cerca de 20% dos nossos produtos representam cerca de 80% da nossa facturação. Temos simplesmente muitos elementos na nossa colecção”, disse o responsável ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.

A Adidas prevê que as suas vendas cresçam 17 mil milhões de euros e que
a sua margem operacional melhore 11% até 2015, numa luta renhida para
superar a líder do mercado, Nike, segundo o Cinco Días.

O grupo é responsável pela marca das três listas além da Reebok e da empresa de artigos para golf a TaylorMade. “No futuro, vai haver uma gama de produtos que vai ser oferecida em todos os países”, explicou. Esta “normalização” deverá gerar “economias de escala na produção e melhorar a rotação de inventários”.

Um dos exemplos, apontados pelo responsável é a bola de futebol do Euro 2012, fabricada pela marca. O grupo acredita que este ano vai gerar uma facturação recorde em bens relacionados com o futebol.

Herbert Hainer adiantou que os Jogos Olímpicos de Londres, que vão ter lugar este verão, “não representam por si um enorme impacto comercial” mas são “uma boa plataforma para os produtos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento suplementar mantém despesa de 704 milhões de euros para bancos falidos

Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do ambiente

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Acordo PS-PSD. “Ninguém gosta de um planalto ideológico”

Mario Draghi, presidente do BCE. Fotografia: Reuters

Covid19. “Bazuca financeira tem de fazer mira à economia, desigualdades e clima”

Adidas vai reduzir gama de produtos para tentar superar a Nike