ADSE recebeu 105 507 novos beneficiários com contrato individual de trabalho

Média de idades dos novos titulares é de 39 anos.

Mais de 105 mil funcionários públicos com contrato individual de trabalho aproveitaram o alargamento extraordinário da ADSE, este ano, a quem não tinha antes tomado esta opção, indica nesta terça-feira o subsistema de saúde em balanço final da adesão à medida.

A ADSE "conta com mais 105 507 novos beneficiários que integraram este subsistema de saúde durante o período extraordinário de adesão voluntária dos trabalhadores públicos com contrato individual de trabalho, que terminou a 9 de setembro", segundo refere a informação enviada ao Dinheiro Vivo.

No balanço, é também indicado que a "média de idades dos novos beneficiários titulares é de 39 anos, sendo que a esmagadora maioria destes novos beneficiários pertence a entidades do setor da saúde".

Depois do sector da saúde - em particular, hospitais EPE -, as universidades foram os organismos da esfera pública que deram origem a maior número de adesões, segundo indicava a presidente da ADSE, Maria Manuela Faria, em entrevista ao Dinheiro Vivo publicada no último sábado.

Nesta, a responsável afirmou-se também confiante quanto ao rejuvenescimento do universo de subscritores do sistema e à capacidade de este se manter sustentável.

"Foi atingido aquilo que entendemos ser necessário, que era os contratos individuais de trabalho passarem a poder ser beneficiários. Trouxe-nos um grande contentamento não só pelo número de beneficiários que entraram, mas pelas suas médias de idades que são muito mais baixas. Se não se verificou a falta de sustentabilidade da ADSE em 2021, muito menos estará para breve uma coisa dessas com o rejuvenescimento. Estamos muito otimistas", referiu então.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de