Coronavírus

AHRESP apresenta novas medidas ao Governo e teme “endividamento estrangulador”

Fotografia: DR.
Fotografia: DR.

A AHRESP apresentou novas medidas ao Governo, considerando que as medidas anunciadas pelo Executivo são insuficientes.

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) apresentou novas propostas de medidas ao Governo, no contexto da crise da pandemia de covid-19. Considerando que as medidas já anunciadas pelo Governo de António Costa são “insuficientes”, a AHRESP indica propõe novas medidas para apoair a restauração, bebidas e o alojamento turístico.

“Face ao agudizar da crise, a AHRESP entregou ontem ao Governo um conjunto de novas medidas para apoiar a restauração e bebidas e o alojamento turístico, nomeadamente o reforço da comparticipação pública no regime do ‘lay off’ simplificado e novas condições para a tesouraria das empresas, que não provoquem um endividamento estrangulador e insustentável no cenário pós-crise”, indica a AHRESP, através de comunicado.

As propostas apresentas pela AHRESP pedem o apoio direto à tesouraria de todas as empresas através do pagamento de salários, das carências no pagamento de impostos, contribuições, rendas, do urgente acesso e aplicação do ‘lay off’, do cumprimento das responsabilidades do Estado para com os agentes económicos.

A associação pede ainda ao Governo que estas propostas sejam adotadas e que tenham aplicação imediata, para garantir que a “economia nacional não pare, mantendo vivos os setores da restauração e do alojamento, fundamentais na estabilização da nossa economia, na criação de riqueza e de valor, e acima de tudo, vitais para a manutenção de muitos milhares de postos de trabalho.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Carteiros

CTT vão entregar cartão de cidadão em casa. Piloto arranca em Oeiras

AHRESP apresenta novas medidas ao Governo e teme “endividamento estrangulador”