AHRESP avisa: turismo enfrenta falta de mão de obra qualificada

O turismo é o sector que tem registado maior crescimento do emprego, mas este ritmo poderá ser afetado pela falta de mão de obra qualificada.

Os sectores da restauração e bebidas e o alojamento turístico empregavam no terceiro trimestre deste ano 345,9 mil pessoas, o que traduz um aumento de 53 mil postos de trabalho por comparação com o trimestre homólogo de 2016. Trata-se de um máximo histórico de empregabilidade do sector, segundo assinala a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Mas este forte e rápido crescimento, que se regista de forma sustentada há mais de um ano, está a revelar uma fragilidade, com as empresas a enfrentarem escassez de mão-de-obra qualificada. Este "estrangulamento do mercado de trabalho nacional" é uma das questões que em análise numa conferência que a AHRESP vai realizar no início do próximo ano.

A Jornada dedicada ao mercado de trabalho no sector do turismo está agendada para dia 9 de janeiro e juntará no mesmo espaço e debate empresas, parceiros sociais, entidades formadoras (públicas e privadas) e governantes.

É que, como sublinha José Manuel Esteves, diretor-geral da AHRESP, a escassez de mão-de-obra qualificada "coloca graves problemas na qualidade da nossa oferta turística, e no desenvolvimento das nossas empresas, dos seus negócios e dos seus atuais e futuros investimentos".

Nesta jornada, que será presidida pelo primeiro-ministro António Costa, serão ainda apresentados os resultados do grupo de trabalho do Monitor do IVA, referente ao primeiro semestre de 2017, com dados acumulados de um ano de aplicação do regresso do IVA aos 13% na parte de alimentação e cafetaria.

 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de