Alargamento do IRS Jovem pode dar mais um mês de salário

Governo vai propor mais dois anos de acesso à medida na proposta do Orçamento do Estado para 2022.

O alargamento do IRS Jovem, de três para cinco anos, poderá assegurar um ganho praticamente equivalente a um mês de salário, avança nesta quarta-feira o Jornal de Negócios com base em simulações da consultora PwC.

De acordo com as simulações, um jovem com um rendimento mensal de mil euros brutos acumulará ao fim de cinco anos uma poupança de 2038,29 euros. Serão mais 926,5 euros em resultado dos dois anos adicionais de acesso ao mecanismo que oferece reduções fiscais graduais ao longo do período de acesso.

Já se os rendimentos brutos forem de 1200 euros, a poupança total será de 2303 euros, mais 1047 euros do que atualmente. Já para valores mais elevados, a poupança será relativamente menor em relação ao salário: um rendimento bruto de 1800 euros alcança uma poupança de 2784,57 euros, num ganho de 1265 euros pelos dois anos adicionais.

As alterações ao regime em vigor desde 2020 foram antecipadas pelo primeiro-ministro, António Costa, no fim de agosto. O governo pretende propor, no Orçamento do Estado para 2022, a aplicação da medida por um período de cinco anos, livrando de IRS 30% dos rendimentos jovens nos primeiros dois anos, com a percentagem de salário isento nos 20% pelos dois anos seguintes, passando a 10% no último ano de aplicação.

O IRS Jovem destina-se a contribuintes dos 18 aos 26 anos, com qualificações ao nível do ensino superior ou secundário, nos primeiros anos de entrada no mercado de trabalho, quando os rendimentos brutos anuais não vão além de 29 179 euros, e com declarações de IRS independentes das dos pais.

Além destas medidas, no IRS, o governo pretende desdobrar escalões de IRS (com detalhes por conhecer) e prolongar o programa Regressar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de