Turismo

Algarve é a região mais procurada pelos portugueses nas férias

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.
Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

A maioria estima ter gastos de 712 euros nas suas férias, de acordo com um estudo sobre os hábitos de férias dos portugueses do IPAM

A maioria dos portugueses (73%) vai sair nestas férias de verão do seu habitual local de residência e na hora de escolher um destino 48% opta pelo Algarve. A maioria prevê gastar 712 euros, mais 12 euros do que em 2017, de acordo com um estudo realizado pelo Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM) sobre os hábitos de férias dos portugueses.

No verão os portugueses valorizam a praia (52%) e preferem o Algarve (48%), enquanto 34% opta por viajar para a Europa. Na sua maioria optam por duas semanas de férias na época de verão (58%) e incidindo no período de julho a setembro (85%). O verão é a época selecionada por 85% dos inquiridos para o período de férias mais longo. “Os que não gozam férias neste período alegam motivos profissionais (55%) e a preferência por épocas do ano com menos movimento (45%)”, informa o IPAM.

A maioria dos portugueses (73%) vai sair do local habitual de residência durante o período de férias, embora a maioria deva ficar por Portugal (61%). O Algarve é a região nacional mais procurada (48%), seguida pelo Alentejo Litoral (29%) e Norte Litoral (13%). Os restantes dividem-se pelo interior (Norte e Alentejo) e centro do país.

“O preço e a promoção foram assinalados como relevantes para 27% dos inquiridos quando questionados pela escolha do destino. A opção dos portugueses que prefere viajar para fora do país recai na Europa, escolhido por 34%, sucedido por África, 4%, e América do Sul, 2%”, informa o IPAM.

Antes de viajar os portugueses optam por fazer pesquisas online para encontrar o destino, selecionar o tipo de alojamento, canal usado por 67% dos inquiridos. “Os portugueses têm maior conhecimento da variedade de tipo alojamentos, sendo de destacar os hotéis (29%), aluguer temporário de casa (21%) e o alojamento local (20%)”, refere o estudo.

A maioria prevê gastar 712 euros uma estimativa que tem vindo a evoluir desde 2017, altura em que os inquiridos estimavam gastos de 700 euros. “Os portugueses optam pela utilização do subsídio de férias, pois de acordo com o estudo este é utilizado parcialmente por 54% da população inquirida, um valor que cresceu face aos 49% de 2018.”

O estudo foi realizado entre 10 e 23 de julho de 2019, com uma amostra de 480 indivíduos, maiores de 18 anos, dos quais 8,7% da classe social A, 34,8% da B, 16,3 da C1, 32,6% da C2 e 7,6% da D. Parte dos inquéritos (25%) foram administrados diretamente através de questionários e 75% foram efetuados online.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Assembleia da República. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Gestores elegem medidas para o novo governo

Joana Valadares e a sócia, Teresa Madeira, decidiram avançar em 2015, depois do encerramento da empresa onde trabalhavam há 20 anos. Usaram o Montante Único para conseguir o capital necessário e a Mimobox arrancou em 2016. Já quadruplicaram o volume de negócios. (Foto cedida pelas retratadas)

Desempregados que criam negócios geram mais emprego

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Algarve é a região mais procurada pelos portugueses nas férias