Turismo

Algarve é a região mais procurada pelos portugueses nas férias

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.
Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

A maioria estima ter gastos de 712 euros nas suas férias, de acordo com um estudo sobre os hábitos de férias dos portugueses do IPAM

A maioria dos portugueses (73%) vai sair nestas férias de verão do seu habitual local de residência e na hora de escolher um destino 48% opta pelo Algarve. A maioria prevê gastar 712 euros, mais 12 euros do que em 2017, de acordo com um estudo realizado pelo Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM) sobre os hábitos de férias dos portugueses.

No verão os portugueses valorizam a praia (52%) e preferem o Algarve (48%), enquanto 34% opta por viajar para a Europa. Na sua maioria optam por duas semanas de férias na época de verão (58%) e incidindo no período de julho a setembro (85%). O verão é a época selecionada por 85% dos inquiridos para o período de férias mais longo. “Os que não gozam férias neste período alegam motivos profissionais (55%) e a preferência por épocas do ano com menos movimento (45%)”, informa o IPAM.

A maioria dos portugueses (73%) vai sair do local habitual de residência durante o período de férias, embora a maioria deva ficar por Portugal (61%). O Algarve é a região nacional mais procurada (48%), seguida pelo Alentejo Litoral (29%) e Norte Litoral (13%). Os restantes dividem-se pelo interior (Norte e Alentejo) e centro do país.

“O preço e a promoção foram assinalados como relevantes para 27% dos inquiridos quando questionados pela escolha do destino. A opção dos portugueses que prefere viajar para fora do país recai na Europa, escolhido por 34%, sucedido por África, 4%, e América do Sul, 2%”, informa o IPAM.

Antes de viajar os portugueses optam por fazer pesquisas online para encontrar o destino, selecionar o tipo de alojamento, canal usado por 67% dos inquiridos. “Os portugueses têm maior conhecimento da variedade de tipo alojamentos, sendo de destacar os hotéis (29%), aluguer temporário de casa (21%) e o alojamento local (20%)”, refere o estudo.

A maioria prevê gastar 712 euros uma estimativa que tem vindo a evoluir desde 2017, altura em que os inquiridos estimavam gastos de 700 euros. “Os portugueses optam pela utilização do subsídio de férias, pois de acordo com o estudo este é utilizado parcialmente por 54% da população inquirida, um valor que cresceu face aos 49% de 2018.”

O estudo foi realizado entre 10 e 23 de julho de 2019, com uma amostra de 480 indivíduos, maiores de 18 anos, dos quais 8,7% da classe social A, 34,8% da B, 16,3 da C1, 32,6% da C2 e 7,6% da D. Parte dos inquéritos (25%) foram administrados diretamente através de questionários e 75% foram efetuados online.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva (C), acompanhada pelo secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita(D) e pela secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdadepela (D), Rosa Monteiro, durante a reunião da Comissão Permanente de Concertação Social, em Lisboa, 26 de fevereiro de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo propõe licença parental paga até um ano no trabalho em part-time

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Algarve é a região mais procurada pelos portugueses nas férias