Agências de viagens reforçam pedidos de apoio ao setor

Numa altura em que o turismo se prepara para enfrentar as consequências das novas restrições provocadas pela nova variante da covid-19, a APAVT vem alertar para a necessidade do prolongamento dos apoios.

Sónia Santos Pereira
Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT © Filipa Bernardo/ Global Imagens

"O apoio à retoma tem que continuar pelo menos até à Páscoa, o apoiar.pt tem que ser reativado, pagando desde já o período de abril a dezembro deste ano e projetando ainda as consequências destas novas restrições agora implementadas", disse esta sexta-feira Pedro Costa Ferreira, presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), no encerramento do 46º congresso do setor, que decorreu ao longo destes últimos três dias em Aveiro e juntou mais de 700 participantes.

Pedro Costa Ferreira sublinhou que "há gente que não tem mais onde se agarrar", numa alusão aos agentes de viagens.

"Esperemos que o atual Governo tenha a criatividade e a vontade necessárias para reforçar de imediato o apoio à economia e às empresas, e que os políticos deste país nos saibam entregar uma solução política estável, que permita uma resposta global e efetiva à crise económica que foi reforçada pela crise política", disse ainda.

Presente na sessão de encerramento, Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, lembrou que este reencontro do setor é marcado por "alguma melancolia", já que é "um reencontro de muitos, mas não de todos".

Com a crise pandémica, "perdemos algumas empresas", recordou. Segundo avançou, apenas "75% das agências de viagens se socorreram das ajudas disponíveis".

A governante sublinhou ainda que o setor merece apoio e que "essa ajuda tem de vir", sendo necessário continuar a apoiar as empresas e o emprego. Na sua opinião, "as agências são um motor importante para a retoma".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG