Covid-19: CEO da Lufthansa prevê proibição de voos para não vacinados em todo o mundo

Carsten Spohr acrescentou que a vacinação obrigatória é algo que "os políticos têm de decidir", ao referir-se à taxa de vacinação na Alemanha, uma das mais baixas da Europa, com apenas 68,4% da população vacinada.

Dinheiro Vivo/Lusa
The CEO of the German airline Lufthansa AG, Carsten Spohr, poses before the annual general meeting at the World Conference Centre in Bonn, western Germany on May 7, 2019. (Photo by INA FASSBENDER / AFP) © AFP

O diretor executivo (CEO) da companhia aérea alemã Lufthansa, Carsten Spohr, está convencido de que serão impostas globalmente proibições de voos para pessoas não vacinadas contra a covid-19.

"Observamos essa tendência globalmente", afirmou ao diário regional Westdeutsche Allgemeine Zeitung (WAZ), recordando, por exemplo, que os Estados Unidos só estão a aceitar a entrada de pessoas vacinadas e salientando que "a liberdade global será mantida para os vacinados e curados".

O CEO aludiu às vantagens da vacinação obrigatória, uma vez que esta entrará em vigor na Áustria e já vigora para o pessoal de voo da Swiss, subsidiária suíça da Lufthansa.

Tanto na Swiss como na Austrian Airlines, subsidiária austríaca do consórcio, praticamente todo o pessoal de voo está vacinado e na Alemanha estão mais de 90%, sublinhou.

Carsten Spohr acrescentou que a vacinação obrigatória é algo que "os políticos têm de decidir", ao referir-se à taxa de vacinação na Alemanha, uma das mais baixas da Europa, com apenas 68,4% da população vacinada.

"Sim, estou desiludido por um povo de poetas e pensadores não ser mais esclarecido e aberto em relação à medicina e às tecnologias modernas", lamentou.

Segundo o representante, a regra 3G - de "geimpft, genesen, getestet" (vacinado, curado ou testado) - começou a ser aplicada esta semana em voos internos da Lufthansa também para a tripulação e, por enquanto, sem quaisquer problemas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG