Desempregados inscritos no IEFP sobem 0,6% em dezembro

Desemprego descia desde março do ano passado, mês que marcou um máximo de inscrições no desemprego em perto de quatro anos.

Maria Caetano
 © Fábio Poço/Global Imagens

O número total de desempregados inscritos em centros de emprego do país voltou a subir em dezembro, interrompendo uma trajetória de descida de oito meses consecutivos, de acordo com as estatísticas mensais do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) publicadas nesta quinta-feira.

Em dezembro, as inscrições no desemprego subiram 0,6%, para um total de 347 959 indivíduos, representando mais 2075 pessoas que um mês antes. Face a dezembro de 2020, há ainda menos 13,5% de desempregados registados, ou menos 54 295.

O aumento do número total de inscritos no desemprego acontece apesar de ao longo do último mês ter descido o número de novos inscritos. Em dezembro, as novas inscrições caíam 16,3% face ao mês anterior, ficando em 39 474. Foram também 13,7% inferiores face aos números de um ano antes.

Em nota de imprensa, o Ministério do Trabalho refere também que "é habitual existir um aumento do desemprego registado entre novembro e dezembro", fazendo notar que esta tendência verifica-se em dez dos últimos 14 anos, desde 2008.

O desemprego registado nos centros de emprego nacionais descia desde março do ano passado, mês que marcou um máximo de inscrições no desemprego em perto de quatro anos. Eram então 432 851. Mantém-se, ainda assim, superior àqueles que eram os números do período anterior à chegada da pandemia do novo coronavírus a Portugal. Em fevereiro de 2020, havia apenas 315 562 inscrições de desempregados ativas, menos 32 397 que as que existiam no último mês.

O aumento mensal de desempregados observado em dezembro decorre, por sectores de atividade, de subidas do desemprego na agricultura (9,5%), indústria (3,6%), entre operadores de máquinas (2,7%), trabalhadores não qualificados (2,3%) e trabalhadores dos serviços pessoais (0,2%), mantendo-se as reduções de desemprego nas restantes atividades.

Em termos regionais, é nos centros de emprego do Algarve, do Alentejo e dos Açores que se verificam as subidas, respetivamente, de 10,4%, de 3,2% e de 0,9%.

Para o mesmo período, os dados do IEFP assinalam uma redução mensal de 27% nas ofertas de emprego disponíveis (15 941). Em dezembro, caíram também as colocações realizadas. O decréscimo foi de 17,7%, para 6 270.

Além das inscrições de desempregados, os centros de emprego nacionais registavam no último mês também 108 611 pessoas sem emprego, mas ocupadas em formação, num decréscimo de 1,7% face ao mês anterior. Contabilizavam ainda 20 415 indivíduos igualmente sem trabalho mas temporariamente indisponíveis para a procura de emprego, numa redução de 4,1% face a novembro.

Mais Notícias

Veja Também

Outros Conteúdos GMG