"Ronaldo 7" vende mais do que "Messi 30"

Camisolas de ambos já renderam 343 milhões de euros mas a maior fatia vai para o português e para o seu Manchester United.

João Almeida Moreira
Cristiano Ronaldo © Oli SCARFF / AFP

No mundo de futebol de hoje, os jogadores não se medem apenas em golos: Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, as duas maiores marcas da história do jogo, rivalizam também em fãs no Twitter ou no Instagram, nos valores dos patrocínios das marcas desportivas que calçam ou das bebidas energéticas que bebem, no número de anúncios na televisão ou na quantidade de metros quadrados das respetivas casas. E, claro, em camisolas vendidas.

E, pelos números das primeiras semanas, CR7, mesmo tendo sido transferido para o Manchester United mais ou menos três semanas depois de Messi para o Paris Saint-Germain, está a frente, segundo dados do lovethesales.com.

As vendas de camisolas do português já geraram 220 milhões de euros contra "meros" 123 milhões das do argentino. Desse valor, o United arrecadou 15,3 milhões e o PSG 8,6.

A diferença, conclui o Manchester Evening News, estará no número de adeptos mundo afora dos dois clubes - os franceses são um gigante em construção, os ingleses um gigante consolidado, apenas adormecido desde a saída de Sir Alex Ferguson, não por acaso um dos responsáveis pela contratação relâmpago do craque.

Ao Financial Times, entretanto, fontes de Old Trafford garantem que a venda de camisolas é apenas a ponta do iceberg do valor que CR7 pode gerar. A qualidade do negócio está muito no monetário e no tangível - os tais fãs nas redes sociais do jogador nos quais o clube pode surfar e os tais patrocínios que uma superestrela proporciona - mas sobretudo no desportivo e no intangível - o entusiasmo viral dos adeptos com o clube, o aumento do compromisso dos colegas de equipa e, claro, a capacidade de ganhar.

Porque no fim das contas - literalmente - é a sala de troféus, mais do que os cofres, que é preciso encher neste business.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG