Energia

Angola não vendia barril de petróleo tão caro há quatro anos

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

Só no mês de novembro, cada barril de petróleo foi vendido a 79,32 dólares.

A exportação petrolífera rendeu a Angola 8.700 milhões de euros em receitas fiscais até novembro, mês em que cada barril de crude foi vendido, em média, a quase 80 dólares, o valor mais alto em quatro anos.

A informação resulta de uma análise feita, esta quarta-feira, pela agência Lusa ao histórico dos últimos 11 meses dos relatórios do Ministério das Finanças de Angola sobre as receitas com a venda de petróleo.

Até novembro, Angola exportou 491.862.592 barris de petróleo, a um preço médio de 70,82 dólares por barril, quando no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2018 o Governo tinha inscrito uma previsão de 50 dólares por barril. Só no mês de novembro, cada barril de petróleo foi vendido a 79,32 dólares.

Trata-se do valor mais alto desde novembro de 2014, quando, então, cada barril de crude foi exportado a 84,51 dólares, conforme dados compilados pela Lusa.

A forte quebra na cotação internacional de petróleo desencadeada em finais de 2014 chegou a colocar o barril de crude vendido por Angola nos 30 dólares.

Contudo, em 11 meses de 2018, as vendas de petróleo por Angola já totalizam 34.833 milhões de dólares (30.466 milhões de euros), que resultaram em receitas fiscais de 3,067 biliões de kwanzas (8.700 milhões de euros).

O petróleo exportado por Angola já tinha atingido um pico, no preço, em outubro, ao ser exportado a 78,49 dólares, em média, cada barril.

Em novembro, Angola exportou 40.106.070 barris de petróleo, representando vendas globais superiores a 2.820 milhões de dólares (2.470 milhões de euros), com o crude do bloco ‘onshore’ (em terra) de Cabinda a sul a bater o recorde do ano, nos 83,29 dólares por barril.

Na origem destes dados estão números sobre a receita arrecadada com o Imposto sobre o Rendimento do Petróleo (IRP), Imposto sobre a Produção de Petróleo (IPP), Imposto sobre a Transação de Petróleo (ITP) e receitas da concessionária nacional.

Os dados constantes nestes relatórios do Ministério das Finanças resultam das declarações fiscais submetidas à Direção Nacional de Impostos pelas companhias petrolíferas, incluindo a concessionária nacional angolana, a empresa pública Sonangol.

O Estado angolano garantiu, em 2017, mais de 8.600 milhões de euros em receitas fiscais com a exportação de petróleo, 400 milhões de euros abaixo da meta orçamentada.

De acordo com dados dos relatórios mensais do Ministério das Finanças sobre as receitas com a venda de petróleo, entre janeiro e dezembro do ano passado, Angola exportou 595.604.870 barris de crude, quando o Governo estipulou no OGE para 2017 uma previsão de 664,6 milhões de barris.

Angola é o segundo maior produtor de petróleo em África, atrás da Nigéria, mas os declínios em alguns campos e a falta de novos investimentos nos últimos anos colocou a produção angolana abaixo dos 1,5 milhões de barris por dia.

Entre outubro e novembro, o petróleo chegou a ser transacionado no mercado internacional a mais de 80 dólares por barril, tendo entretanto iniciado um movimento de descida, rondando agora os 60 dólares por barril.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Assembleia da República. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Gestores elegem medidas para o novo governo

Joana Valadares e a sócia, Teresa Madeira, decidiram avançar em 2015, depois do encerramento da empresa onde trabalhavam há 20 anos. Usaram o Montante Único para conseguir o capital necessário e a Mimobox arrancou em 2016. Já quadruplicaram o volume de negócios. (Foto cedida pelas retratadas)

Desempregados que criam negócios geram mais emprego

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Angola não vendia barril de petróleo tão caro há quatro anos