Energia

ANPG, Chevron e Sonangol assinam acordo de cooperação

Fotografia: Reuters/Brendan McDermid
Fotografia: Reuters/Brendan McDermid

As três entidades pretendem conhecer o potencial do bloco 34, situado no 'offshore' da bacia do Baixo Congo, em Angola,

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis angolana (ANPGB), a Cabinda Gulf Oil Company Limited, representada pela Chevron Southwest Africa Limited, e a Sonangol assinaram hoje um protocolo de cooperação para o estudo e avaliação técnica do bloco 34.

Segundo uma nota da ANPGB, enviada à agência Lusa, as três entidades pretendem conhecer o potencial do bloco 34, situado no ‘offshore’ da bacia do Baixo Congo, em Angola, tendo o acordo estabelecido as linhas de intervenção do projeto.

Com a assinatura deste protocolo, as partes comprometem-se a avaliar conjuntamente os “dados geológicos, geofísicos, petrofísicos e outros”, bem como “diversas informações técnicas”, com vista a uma potencial futura exploração do bloco.

“Este estudo vem reforçar o nosso compromisso de longo prazo para o desenvolvimento sustentável do setor petrolífero em Angola e representa o nosso primeiro interesse num bloco situado na bacia do Baixo Congo”, disse o diretor-geral da Chevron em Angola, Derek Magness, citado no comunicado.

O presidente do Conselho de Administração da ANPGB, Paulino Jerónimo, sublinhou, por seu lado, que o acordo “demonstra a forte parceria” entre Angola e a Chevron, e o compromisso de se trabalhar em conjunto para se conhecer melhor o potencial de exploração do país.

Paulino Jerónimo adiantou que “os resultados deste estudo respondem ao apelo” do Presidente de Angola, João Lourenço, “para mitigar o declínio da produção e para promover a diversificação da economia” do país.

Já o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Gaspar Martins, também citado na nota de imprensa, destacou a importância do trabalho em conjunto entre as três entidades, “para se consumar o objetivo da diversificação e do aumento da produção de petróleo em Angola”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(DR)

Revolut. “O produto viral” já tem 300 mil utilizadores em Portugal

Paulo Macedo, presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos. 
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Paulo Macedo: Aumento de comissões na CGD rondará os 2% em 2019

Mário Centeno e Pierre Moscovici. Fotografia: EPA/ARIS OIKONOMOU

Bruxelas com reservas sobre esboço pede plano atualizado

Outros conteúdos GMG
ANPG, Chevron e Sonangol assinam acordo de cooperação