Coronavírus

António Costa. 4 de maio é data limite para normalização do ensino

Fotografia: ALMEIDA/LUSA
Fotografia: ALMEIDA/LUSA

Na próxima terça-feira, será conhecida a análise de epidemiologistas sobre o previsível impacto da abertura das escolas no combate à pandemia.

O primeiro-ministro, António Costa, acaba de revelar que a data limite para que o calendário escolar possa retomar a normalidade é 4 de Maio.

Em entrevista à Renascença, António Costa afirmou que “a data limite para que o calendário escolar possa ser cumprido, com ensino presencial, designadamente no secundário, é 4 de maio”.

A começar nessa altura “podemos ter época de exames no final de julho e um ciclo de pausa em agosto, com segunda fase em setembro”, como é habitual.

A decisão da reabertura das escolas será anunciada, como previsto, na próxima quinta-feira (9 de abril), depois de um conjunto de reuniões para ouvir as várias autoridades envolvidas.

Uma das mais relevantes para a decisão, será a da próxima terça-feira (7 de abril), altura em será conhecida a análise de um grupo de epidemiologistas sobre a previsibilidade do impacto da abertura das escolas.

O ensino à distância mantém-se como solução de aprendizagem, sendo que neste ponto e para combater as desigualdades de acesso às tecnologias, o Governo está a estudar a possibilidade de complementar o ensino digital através da televisão.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

António Costa. 4 de maio é data limite para normalização do ensino