Governo

António Costa: “Combate à precariedade é central para a produtividade”

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA
O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

O primeiro-ministro respondeu esta segunda-feira, em Braga, a perguntas dos cidadãos, no momento em que se assinalam três anos de Governo.

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta segunda-feira, em Braga, que “o combate à precariedade é central para uma melhor produtividade” e sublinhou a evolução registada nesse domínio nos últimos anos.

O chefe do Governo sublinhou que dos 341 mil novos postos de trabalho criados nos últimos três anos, 87 % são contratos sem termo.

“O combate à precariedade é central para uma melhor produtividade”, referiu, lembrando que o aumento da produtividade passa pela qualificação dos recursos humanos.

“Alguém investe na qualificação de quadros precários?”, questionou.

Falando num debate com alunos e professores da Universidade do Minho, para assinalar o dia em que o Governo completa três anos, destacou que a nova lei de combate à precariedade que está para aprovação na Assembleia da República contempla uma série de medidas para incentivar os contratos definitivos.

“A precariedade não é só negativa para os trabalhadores”, sublinhou Costa, lembrando que são sobretudo as empresas que têm a perder.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

António Costa: “Combate à precariedade é central para a produtividade”