Metropolitano de Lisboa

Areeiro: fim à vista para obras que começaram há 10 anos

areeiro2

A estação de metro do Areeiro entrou em obras em 2008. Concurso para última fase dos trabalhos é lançado até ao final deste ano.

A necessidade de adequar a estações de metro a comboios de seis carruagens fez com que algumas das plataformas mais antigas da rede tivessem de ser ampliadas. Foi este o motivo que levou a estação do Areeiro a entrar em obras. Os trabalhos iniciaram-se em 2008 e, dez anos depois, parte da infraestrutura continua encerrada ao público, estando previsto que o procedimento para a conclusão da obra seja lançado até ao final do ano.

Depois de uma primeira fase – que demorou cerca de seis anos – em que, além do alargamento do cais, foi criada uma nova saída, na zona sul desta estação, os trabalhos centraram-se do lado norte. O acesso foi, então, bloqueado e assim continua desde 2014.

Em resposta ao Dinheiro Vivo, fonte oficial do Metro de Lisboa sublinha que este acesso e o respetivo átrio “serão reabertos ao público aquando da conclusão das intervenções programadas” e adianta que se prevê “o lançamento do procedimento pré-contratual ainda antes do final deste ano”.

Em causa está a realização de um conjunto vasto de intervenções que vão desde a criação de acessibilidades através da instalação de elevadores, à renovação do sistema de ventilação, ao reforço (parcial) da laje do cais para a colocação de novo pavimento ou ainda a reorganização dos espaços de apoio à exploração na área disponível do átrio.

A mesma fonte garante que, à semelhança do que sucedeu durante a intervenção do lado sul, os trabalhos que vão ser realizados nos próximos meses não implicarão o encerramento da estação ao público.

Esta obra integra-se no conjunto de intervenções que a empresa está a realizar em vários pontos da rede, nomeadamente nas estações de Arroios ou Anjos.

Ao mesmo tempo, várias estações estão a ser equipadas com rampas para cais/comboio/cais para deficientes com cadeiras de rodas. De acordo com a informação da empresa, este projeto irá dotar, até 2023, “mais 14 estações de acessibilidades para pessoas de mobilidade reduzida”, o que fará elevar para 52 as estruturas com acessibilidade plena.

Para a concretização deste trabalho de melhoria das acessibilidades, o Metro de Lisboa vai investir entre 1,5 milhões a 2 milhões de euros por estação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Estado já concedeu quase 20 mil milhões à banca

Fotografia: REUTERS/Reinhard Krause

Fitch baixa previsões de crescimento mundial devido a guerra comercial

( Pedro Rocha / Global Imagens )

Défice atinge 1,9% até junho. Meta do governo é de 0,7%

Outros conteúdos GMG
Areeiro: fim à vista para obras que começaram há 10 anos