Imobiliário

Arrendamento. Lisboa pior do que Barcelona e Berlim

fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens
fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens

Em Lisboa, a taxa de esforço para arrendar casa é de 58%, quase o dobro do valor de referência ideal

Lisboa, Barcelona ou Berlim, onde é mais difícil arrendar uma casa? Em Lisboa, diz um estudo desenvolvido pelo grupo de investigação Morfologia e Dinâmicas do território do Centro de Estudos de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, que faz o cruzamento entre o rendimento de um casal com um dependente e a renda que tem de pagar, em cada uma destas cidades, por um apartamento T2 com 95 metros quadrados.

O trabalho, avançado esta segunda-feira pelo jornal Público, mostra que em Berlim, um casal precisa, em média, de afetar 40% do seu rendimento para alugar casa, valor que sobe para os 45% em Barcelona e para os 58% em Lisboa. Em causa estão rendas médias de 916 euros em Lisboa, de 1.170 euros na capital catalã e de 1.491 euros na capital alemã, mas que, neste caso, incluem já os custos com água e luz. A questão é que os salários médios em cada um dos países é bem distinto: 1.563 euros euros de rendimento líquido mensal para o agregado lisboeta que compara com os 2.614 euros do agregado espanhol e com os 3.727 euros do alemão.

“Convém referir que a desigualdade não se cinge ao poder de compra, mas, também, à possibilidade de aceder aos financiamentos, de contornar a legislação ou, até, de influir na sua criação, graças a um capital técnico que o cidadão comum não tem e o poder público não lhes fornece”, declara Aitor Vareo Oro, um dos membros da equipa que liderou o estudo.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: Leonel de Castro/Global Imagens

Famílias com 12 meses para pagarem rendas do estado de emergência

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

EPA/MIGUEL FIGUEIREDO LOPES

Mais de 90% querem ver estado de emergência prolongado

Arrendamento. Lisboa pior do que Barcelona e Berlim