As contas do Governo. Estágios do IEFP com empregabilidade baixa

Governo analisou as políticas ativas de emprego e apresenta-as esta quinta-feira aos parceiros sociais.

A empregabilidade real dos estágios promovidos pelo IEFP é de 38%, conclui governo numa análise preliminar às políticas ativas de emprego, matéria em discussão esta quinta-feira em Concertação Social.

Nesta análise, o Executivo assume que os estágios foram levados ao extremo durante a última legislatura, especialmente entre 2014 e 2015, e que a manter-se este ritmo, as verbas do Portugal 2020 não iriam chegar para além de 2018.

Apesar da forte execução de estágios, a eficácia é baixa. "A empregabilidade real dos estágios 12 meses após a conclusão é 38%", assume o ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, num comunicado que faz o resumo da análise entregue a patrões e sindicatos.

Não é só: "somente 16% dos estagiários foram contratados pela mesma empresa sem recurso a apoios adicionais", acrescenta o estudo que diz ainda que somando os estágios a outros apoios de inserção no mercado de trabalho, a empregabilidade subia para 66%.

A adesão dos apoios à contratação é maior, com cerca de metade (45,8%) das pessoas a manterem-se na mesma empresa depois de passados 12 meses do apoio.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de