México

Assalto à Casa da Moeda do México lembra série de TV e leva a roubo de 2 milhões

La-Casa-de-Papel-960x540_c

As primeiras informações sobre o roubo lembraram de imediato a série de sucesso da Netflix, Casa de Papel.

Três pessoas armadas invadiram na terça-feira a Casa da Moeda do México num golpe que imitou a série de televisão espanhola “Casa de Papel” e resultou no roubo de um pacote multimilionário de moedas de ouro e relógios comemorativos.

Apesar de os ladrões não terem usado máscaras de Dalí, as primeiras informações sobre o roubo lembraram de imediato a série de sucesso da Netflix, em que um grupo assalta a Casa da Moeda de Espanha seguindo um plano da personagem a quem chamam Professor.

O secretário de Estado da Segurança do México, Jesus Orta, garantiu, no entanto, que o assalto foi muito mais rudimentar e ficou muito longe dos acontecimentos que a série conta.

Em entrevista a uma televisão, o secretário de Estado admitiu, no entanto, que o início do golpe foi semelhante.

Pelo menos “três pessoas, com armas de fogo”, entraram, por volta das 10:00 (16:00 em Lisboa), no edifício que guarda moedas de ouro, mas não imprime notas, e que se situa no Paseo de la Reforma, na capital mexicana.

Depois de entrarem, os assaltantes tiraram a arma ao segurança que estava a guardar o acesso e dirigiram-se ao cofre de segurança da instituição, que estava aberto na altura, e de onde retiraram cerca de 1.500 moedas de ouro e relógios comemorativos.

Poucos minutos depois, os três fugiram com um saque de um valor estimado em mais de 50 milhões de pesos (2,2 milhões de euros).

As imagens dos três assaltantes, gravadas pelas câmaras de segurança, foram divulgadas por alguns meios de comunicação social e as autoridades começaram a seguir-lhes o rasto com a ajuda do centro de vídeo vigilância da capital, conhecido como C5.

Nas imagens divulgadas pode ver-se que os assaltantes eram três jovens, vestidos com roupas normais – sem os macacões vermelhos popularizados pela série -, o que lhes permitiu passar despercebidos.

Apesar da magnitude do roubo, alguns transeuntes e comerciantes da avenida onde se situa a Casa da Moeda mexicana asseguraram à agência de notícias Efe que não se tinham apercebido de nada até à chegada da polícia.

Durante todo o dia, as entradas e saídas dos investigadores da Procuradoria-geral da Cidade do México e de agentes da Polícia Federal na Casa da Moeda do México multiplicaram-se, e dezenas de jornalistas concentraram-se no edifício e imediações.

Os três funcionários da instituição, incluindo o segurança da entrada, todos desarmados pelos ladrões, foram levados para testemunhar na Procuradoria-geral da República, já que “o protocolo de segurança não foi aplicado”.

O tom de mistério e intriga intensificou-se uma hora e meia depois do assalto, quando se ficou a saber que um prédio de escritórios localizado a apenas 350 metros da Casa da Moeda tinha sido alvo de um ataque armado.

O caso teve origem numa discussão entre dois homens, que resultou num tiroteio, deixando um deles ferido, mas as autoridades não confirmaram se existe relação entre os dois acontecimentos.

O assalto também foi largamente comentado nas redes sociais, onde muitos utilizadores imaginaram os ladrões com máscaras de Frida Kahlo, em vez das de Salvador Dalí usadas pelos assaltantes da série “Casa de Papel” e cuja terceira temporada foi promovida precisamente no Paseo de la Reforma.

Esta não foi a primeira vez que esta instituição do Ministério das Finanças e do Crédito Público sofreu um assalto.

Em julho de 2018, durante a remodelação da Casa da Moeda, o edifício foi assaltado por quatro homens que levaram moedas antigas de prata e ouro com um valor estimado em cerca de três milhões de pesos (cerca de 140.000 euros)

O primeiro ataque remonta a 1739, quando houve um grande roubo de prata na Casa da Moeda Real do México.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
João Leão e Mário Centeno. Foto: Tiago Petinga/Lusa

Governo impõe aumento de 0,3% na função pública. Impacto pode ser de 70 milhões.

João Leão e Mário Centeno. Foto: Tiago Petinga/Lusa

Governo impõe aumento de 0,3% na função pública. Impacto pode ser de 70 milhões.

Christine Lagarde, presidente do BCE. Fotografia: REUTERS/Johanna Geron

Lagarde corta crescimento da zona euro para apenas 1,1% em 2020

Outros conteúdos GMG
Assalto à Casa da Moeda do México lembra série de TV e leva a roubo de 2 milhões