Madeira

Madeira aprova voto de protesto contra declarações de administrador da TAP

TAP

A Assembleia Legislativa da Madeira aprovou esta quinta-feira um voto de protesto do grupo parlamentar do PSD contra declarações do administrador não executivo da TAP Diogo Lacerda Machado sobre as queixas dos madeirenses à transportadora.

O voto de protesto foi aprovado com os votos favoráveis dos deputados do PSD, CDS-PP, PTP e PCP, a abstenção do PS (com exceção de um elemento da bancada), BE e JPP, e os votos contra do deputado independente Gil Canha e do deputado do PS Avelino Conceição.

“Os madeirenses, todos os anos pelo Natal e pelo Ano Novo e aí pelo mês de junho, têm uma espécie de entretenimento ideal que é queixar-se da TAP. De quem mais é que se poderiam queixar? Não os vejo queixar-se da EasyJet, que carrega nas tarifas quando a procura ultrapassa largamente a oferta”, disse aos jornalistas o administrador da TAP a 25 de novembro, em Macau, à margem do 43.º Congresso Nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT).

Posteriormente, Diogo Lacerda Machado afirmou que estas declarações não representavam “qualquer forma de desconsideração da Madeira”.

“Em circunstância alguma ousaria incorrer em qualquer forma de desconsideração da Madeira e dos concidadãos madeirenses, que seria indevida e injustificada”, referiu, quatro dias depois, numa declaração escrita enviada à agência Lusa.

O parlamento regional considerou, contudo, que as afirmações feitas em Macau “são inaceitáveis”.

“Estas afirmações, não contrariadas pelo primeiro-ministro, nem pelo ministro da tutela, assim como pelo restante Conselho de Administração, apenas revelam a ideia e postura de desprezo que a TAP tem da Madeira e dos madeirenses”, diz o documento.

A assembleia manifesta “o seu mais veemente protesto pela total falta de respeito pelos madeirenses manifestada pela administração da TAP, em especial pelo dr. Diogo Lacerda, o que revela um posicionamento lesivo em primeiro lugar dos cidadãos madeirenses e, em segundo, do atual Governo da República e do primeiro-ministro”.

Na sessão de hoje foi também aprovada uma alteração orgânica do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza, cujo Conselho Consultivo, até agora com um presidente e um vice-presidente, passa a ser composto por um presidente e dois vogais.

O objetivo, segundo a secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, é tornar o organismo “mais ágil”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Madeira aprova voto de protesto contra declarações de administrador da TAP