Terrorismo

Atentados em Londres provocam sete mortos. “Basta”, diz Theresa May

Fotografia: REUTERS/Hannah McKay
Fotografia: REUTERS/Hannah McKay

Eleições gerais marcadas para quinta-feira, 8 de junho, vão realizar-se na data prevista

Noite trágica em Londres, depois de sete pessoas terem morrido na sequência dos ataques em três locais da capital britânica. Para a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, é tempo de dizer “basta” ao terrorismo. As eleições gerais marcadas para quinta-feira, 8 de junho, vão realizar-se na data prevista, segundo declarações feitas após a reunião do comité COBRA.

A chefe de Governo britânica descreveu também os ataques da noite de sábado como uma “perversão do Islão” e parte de uma “nova tendência”. “Derrotar esta ideologia é um dos grandes desafios do nosso tempo”, referiu Theresa May em declarações aos jornalistas este domingo.

May referiu também que a única coisa que une os três ataques terroristas que ocorreram no Reino Unido desde março é a “ideologia extremista”. Desde o ataque de Westminster, em março, a polícia já impediu cinco tentativas de atentado no Reino Unido. A primeira-ministra assinalou que os terroristas estão a “copiar-se uns aos outros” mas os ataques recentes não estão relacionados.

No sábado à noite ocorreram pelo menos três incidentes em diferentes pontos de Londres: um atropelamento na London Bridge, apunhalamentos em Borough Market e um incidente em Vauxhall. Dos ataques resultaram 7 mortos e 48 pessoas feridas, muitas elas “correm perigo de vida”, segundo Theresa May. Os três atacantes foram abatidos. Este foi o terceiro ataque terrorista no Reino Unido, depois do ataque de Westminster, em março, e do ataque em Manchester, em maio, após um concerto de Ariana Grande.

(Notícia atualizada às 11h02 com mais informação)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: D.R.

Julho só com mais 390 desempregados oficiais, mas 44 mil novos inscritos no IEFP

António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Tiago Petinga/Lusa

Novo Banco vendeu seguradora com desconto de 70% ‘coberto’ pela ajuda do Estado

Fotografia: D.R.

Novo Banco. GNB teve idoneidade verificada pelo regulador

Atentados em Londres provocam sete mortos. “Basta”, diz Theresa May