Aumento extra das pensões antecipado para janeiro

Antecipação de oito meses foi assegurada pelo PCP durante as negociações para o Orçamento do Estado para 2021. Comunistas dizem que o aumento é de dez euros para todas as pensões até 658 euros.

O aumento extraordinário das pensões mais baixas vai ser antecipado de agosto para janeiro do próximo ano. O calendário foi assegurado pelo PCP nas negociações que manteve com o Governo no âmbito das negociações para o Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

A notícia foi avançada pelo Jornal de Notícias e já confirmada pelo Dinheiro Vivo.

De acordo com os cálculos iniciais do Governo, a medida abrange cerca de dois milhões de pensionistas e o custo adicional estimado era de mais 99 milhões de euros do que este ano. O PCP anunciou nesta sexta-feira que a atualização extraordinária será de dez euros para todas as pensões até 658 euros. "Registando a disponibilidade aberta pelo Governo de ir para lá daquilo que a proposta de Orçamento inscreve - nomeadamente admitindo um aumento de dez euros para todas as pensões até 658 euros já a partir de janeiro - a verdade é que os compromissos assumidos estão muito longe de dar garantias de o OE2021 poder constituir a resposta de que o país precisa", indicou o líder da bancada parlamentar do PCP, João Oliveira na conferência de imprensa em que anunciou a abstenção na generalidade.

"Face à previsível estagnação do IAS (indexante de apoios sociais) nos termos da lei, o Governo procede, em 2021, a uma atualização extraordinária das pensões, abrangendo cerca de 1,9 milhões de pensionistas", refere o documento do Ministério das Finanças. O valor do IAS é este ano de 438,81 euros.

O número de beneficiários previstos é o mesmo do ano passado, quando 1,3 milhões de pensionistas tiveram um ganho mensal de dez euros, e 600 mil somaram mais seis euros.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de