Hotelaria

Autarquia de Lisboa arrecadou 31 milhões de euros com taxa turística

Raul Martins, presidente da AHP. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens
Raul Martins, presidente da AHP. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

Parte das verbas provenientes da taxa turística estão alocadas em projetos como o Centro da Ponte 25 de Abril ou o futuro Museu Judaico.

O presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Raul Martins, defendeu hoje uma “parceria sólida e continuada” entre os hoteleiros e as autarquias que gerem as cidades. Sem isso, “não só não se faz uma cidade atrativa para o turista, como não se faz uma cidade sem retorno para o investimento em turismo”, afirmou o responsável num almoço de associados da AHP.

O principal testemunho desta parceria, segundo Raul Martins, é o modelo do Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa encontrado entre a AHP e a Câmara Municipal de Lisboa. Esta parceria, criada em 2016, já permitiu à autarquia encaixar praticamente 31 milhões provenientes da taxa turística.

De acordo com o presidente da AHP, “parte muito substancial” desta verba está alocada em vários projetos, alguns deles já a decorrer, como o Centro Interpretativo da Ponte 25 de Abril ou o futuro Museu Judaico. Mas também no Festival da Eurovisão ou na aquisição do equipamento para limpeza urbana em freguesias com maior procura turística.

No mesmo contexto, Raul Martins aproveitou a ocasião para desafiar a Associação de Turismo de Lisboa a lançar, já em 2019 e, em conjunto com a AHP, um programa de promoção que prolongue a estadia na região de Lisboa. Para tal, considera que é “essencial valorizar outras zonas dentro da cidade” para “descongestionar não só o centro histórico, mas também outras zonas na Área Metropolitana de Lisboa”.

Sobre o alojamento local (AL), em discussão no parlamento, congratulou-se pela posição assumida por Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa. O presidente da AHP chamou à atenção para a necessidade de regular o AL para “manter a autenticidade das cidades e não criar situações de conflito dos turistas com os residentes locais”.

Para Medina, o que diga respeito ao AL deve ficar “na alçada dos municípios”. Isso significa que, “em Alfama temos de conter, mas que noutras zonas poderemos dizer «sejam bem-vindos»”.

Novo centro de congressos de Lisboa em cima da mesa

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, mostrou-se também disponível para voltar a analisar o projeto de criação de um novo centro de congressos em Lisboa. A aposta visa promover o turismo de congressos e captar mais visitantes para o destino

Raul Martins afirmou, por sua vez, que a atualização do estudo a construção do novo centro “está em fase final”. “Aguardamos que os polos ‘Descobrir’ se tornem uma realidade”, acrescentou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

Angela Merkel e Donald Trump. Fotografia: REUTERS/Kevin Lamarque

FMI corta crescimento da Alemanha, mas Espanha ainda compensa

Outros conteúdos GMG
Autarquia de Lisboa arrecadou 31 milhões de euros com taxa turística