Indústria

Autoeuropa e Comissão de Trabalhadores acordam aumentos salariais de 3,2%

Uma das unidades da Inapal, que também fornece a Volkswagen, está localizada no parque da Autoeuropa (Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens)
Uma das unidades da Inapal, que também fornece a Volkswagen, está localizada no parque da Autoeuropa (Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens)

A Autoeuropa e a Comissão de Trabalhadores acordaram um aumento salarial de 3,2% retroativo a 01 de outubro passado, divulgou em comunicado a estrutura representativa dos trabalhadores.

O aumento salarial de 3,2% a aplicar às tabelas salariais implica um mínimo de 25 euros, no caso em que o valor nominal do aumento fique abaixo.

Ainda no quadro das negociações entre a Comissão de Trabalhadores (CT) e a administração da Volkswagen Autoeuropa foi aprovado o “pagamento de uma gratificação de 100 euros ou 200 euros em abril de 2018 conforme a antiguidade” do trabalhador.

O acordo implica ainda “o fim da tabela A0 para Operadores e o fim do primeiro nível de integração para Especialistas nas futuras admissões”, com a Comissão de Trabalhadores a dizer que a atualização das tabelas salariais significa que o salário base em futuras admissões aumentará cerca de 140 euros mensais.

Ainda nas negociações foi assegurada pela Autoeuropa a passagem de 250 contratos a termo a contratos efetivos, assim como a “garantia do emprego durante a vigência do acordo”.

Quanto aos trabalhadores que a 31 de dezembro tenham saldo positivo em ‘down-days’ (suspensão temporária da produção) recebem em janeiro do ano seguinte o respetivo pagamento.

O acordo melhora as condições das mulheres grávidas, explicou à Lusa José Carlos Silva, da CT, que podem optar por horário fixo e durante a gestação receber mensalmente um subsídio equivalente a 10% do salário base.

Haverá ainda o pagamento de seis bolsas de estudo para filhos de trabalhadores que estejam no ensino superior

O acordo tem vigência entre 01 de outubro 2017 e 31 de dezembro de 2018.

A CT da Autoeuropa convocou três plenários de trabalhadores para a próxima terça-feira, nos turnos da noite (06:10 — 07:10), manhã (09:00 — 10:00) e tarde (16:00 — 17:00), para dar conta dos resultados das negociações com a administração da Volkswagen Autoeuropa sobre o novo caderno reivindicativo.

A Autoeuropa – que, segundo a mesma fonte, conta com mais de 5.000 trabalhadores – deverá atingir este ano uma produção de 240.000 automóveis, a grande maioria do novo modelo T-Roc, veículo que o grupo alemão Volkswagen pretende construir apenas na fábrica de automóveis de Palmela e que está a ter muito boa aceitação no mercado.

Os novos horários para a produção do T-Roc levou a um ambiente de conflitualidade laboral na Autoeropa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Antonoaldo Neves EPA/GUILLAUME HORCAJUELO

TAP contrata mil tripulantes, traz 37 aviões novos e liga o Whatsapp (de graça)

Fotografia: João Girão/Global Imagens

Autoeuropa pode parar a qualquer momento por falta de espaço para os carros

gaspar fmi contas públicas défice dívida

FMI. Dívida mundial atinge máximo histórico de 162 biliões de euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Autoeuropa e Comissão de Trabalhadores acordam aumentos salariais de 3,2%