Avaliação bancária das casas sobe para 1226 euros e continua a bater recordes

Os números foram publicados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A avaliação bancária das casas subiu para 1226 euros por metro quadrado em janeiro, mais seis euros face a ao mês anterior.

Em relação ao mesmo mês de 2018 o montante subiu 73 euros, ou 6,3%. Os valores são calculados com base nos pedidos de crédito para a compra de casa.

A avaliação bancária das casas tem subido todos os meses desde abril de 2017. Há mais de 11 anos que o valor não era tão elevado.

O valor atribuído aos apartamentos aumentou quatro euros, para uma média de 1288 euros por metro quadrado. Já as moradias ficaram seis euros mais caras, tendo chegado em janeiro aos 1125 euros.

A nível regional, destaca o INE, a maior subida, tanto na comparação mensal como anual, teve lugar no Alentejo. Já a Madeira foi a região onde os preços mais caíram.

O preço atribuído às casas ficou acima da média nacional no Algarve, na região de Lisboa, na Madeira, no litoral do Alentejo e na Área Metropolitana do Porto. No extremo oposto, com os preços mais reduzidos, está a Beira Baixa.

Preços disparam nas periferias

Na cidade de Lisboa a avaliação bancária das casas contrariou a tendência nacional, ao descer quatro euros em janeiro face ao mês anterior, para os 2189 euros por metro quadrado. Na capital, o último recorde foi batido em julho do ano passado, quando o metro quadrado foi avaliado em 2216 euros.

Já na Área Metropolitana da capital os preços não têm travão. Em Sintra o valor do metro quadrado bateu em janeiro o recorde de mais de uma década, tendo chegado aos 1366 euros, mais 29 euros em comparação com o mês anterior. Num ano, o montante subiu 181 euros.

O mesmo acontece na Amadora, onde os preços subiram 30 euros num mês e 236 euros num ano. A avaliação bancária de janeiro coloca o metro quadrado nos 1732 euros.

Em Almada o metro quadrado chegou aos 1623 euros no primeiro mês de 2019, o que traduz um aumento de 20 euros num mês e de 184 euros em 12 meses.

A tendência repete-se em Cascais, Odivelas, Seixal e Vila Franca de Xira. A avaliação bancária desceu em Loures e Oeiras.

Na cidade do Porto o valor que os bancos atribuem às casas também tocou em novos máximos em janeiro. O preço do metro quadrado aumentou 28 euros face a dezembro e 264 euros em relação a janeiro de 2018.

Na Área Metropolitana do Porto foram registadas subidas em praticamente todos os municípios. Em Matosinhos, depois de terem descido em dezembro, os preços aumentaram de forma significativa em janeiro, passando de 1492 euros para 1548 euros por metro quadrado, uma diferença de 56 euros. Num ano o preço aumentou 172 euros.

Os valores também aumentaram em Gondomar (1100 euros), na Maia (1286 euros) e em Santa Maria da Feira (972 euros). Em Vila Nova de Gaia registaram uma quebra, de 14 euros, para 1190 euros por metro quadrado. Em 12 meses, no entanto, o aumento foi de 78 euros.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de