crédito à habitação

Banca sobe preço do m2 das casas em cinco euros num mês

Foto: Paulo Spranger/Global Imagens
Foto: Paulo Spranger/Global Imagens

O valor médio de avaliação dos bancos para pedidos de crédito à aquisição de imóveis subiu 0,4% para 1304 euros.

Os bancos aumentaram em cinco euros o preço do metro quadrado das casas, avaliando em outubro em média a habitação em 1304 euros/m2. O valor médio de avaliação dos bancos para pedidos de crédito à aquisição de imóveis subiu, assim, 0,4% em outubro face ao mês anterior e 7,6% quando comparado com o homólogo de 2018, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

As regiões com maiores subidas na avaliação bancária foram o Algarve e os Açores, com um incremento de 1,4% em outubro face ao mês anterior. Já face ao período homólogo de 2018, o Norte é o território que regista o maior crescimento, com o valor do metro quadrado a subir 9%.

Apartamentos mais caros
Os apartamentos viram o preço do metro quadrado ser avaliado, em outubro, em 1389 euros, um aumento de 8,8% quando comparado com o homólogo de 2018. Em relação a setembro deste ano, verifica-se uma subida de 0,3%. O Algarve foi a região onde as casas tiveram uma maior subida no valor da avaliação bancária.

Segundo o INE, o preço do metro quadrado nos apartamentos T2 teve um acréscimo de seis euros, para 1426 euros. Nos T3 manteve-se inalterado nos 1292 euros. Estas tipologias representaram 82,8% das avaliações realizadas em outubro.

O preço das moradias subiu 5,1% para 1167 euros o metro quadrado em termos homólogos, com o Algarve (1680 euros) e a Área Metropolitana de Lisboa (1632 euros) a impulsionarem esta evolução.

Nas moradias T3 e T4, responsáveis por 44,7% das avaliações bancárias, o metro quadrado atingiu os 1092 euros, mais oito euros face a setembro, e 1 145 euros, uma queda de 2 euros, respetivamente. O valor também desceu para as moradias T5 ou superior. Neste caso, a quebra foi de 3 euros, para 1265 euros.

Algarve, Área Metropolitana de Lisboa, Região Autónoma da Madeira, Área Metropolitana do Porto, Alentejo Central e Alentejo litoral foram as regiões que, em outubro, apresentaram valores de avaliação superiores à média nacional – 46%, 37%, 22%, 12%, 5% e 3% acima, respetivamente. Em contraponto, Beiras e Serra da Estrela, Beira Baixa e Médio Tejo apresentaram os valores mais baixos, menos 27%, menos 24% e menos 23%, respetivamente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Foto - Leonardo Negrao

Deco: seguros de saúde não cobrem coronavírus, seguros de vida sim

Foto: D.R.

Easyjet. Ligações de Portugal com Itália não serão afetadas, por enquanto

Banca sobe preço do m2 das casas em cinco euros num mês