Barroso defende administração pública “amiga dos negócios”

ng3120525

Para o presidente da Comissão Europeia, a modernização da administração pública fará, por exemplo, com que o Estado pague a tempo e horas às empresas.

O objectivo é melhorar a relação entre Estado e as empresas. Durão Barroso entende que a administração publica deve tornar-se mais “amiga” dos negócios e das empresas.

Leia também: PIB podia crescer 3% se todos pagassem a 60 dias

“Têm de ser um parceiro para a mudança. Tem a ver com o que podemos fazer para estimular o crescimento. Tem também a ver com empregos e bem-estar”, defendeu.

Barroso acredita que o Estado pode contribuir para aqueles objectivos por exemplo caso pague a tempo e horas, sendo esta outra das virtudes da modernização da administração pública.

Para o chefe do executivo comunitários tal modernização “significa melhorias ao nível da eficiência do sector público, como um maior uso das tecnologias da informação ou reduzindo os atrasos no pagamento aos fornecedores”.

Apesar das críticas que são dirigidas ao Estado português, por tardar em acertar contas com fornecedores, Barroso entende que Portugal até consta entre os bons exemplos dos países que tornaram a administração pública mais eficiente.

“Nós até já temos diversas histórias que mostram o que tem de ser feito. Na última cimeira demos o exemplo do que a Estónia fez ao nível do e-Governement. Os outros dois exemplos chegam da Finlândia e de Portugal, onde nós vimos algumas iniciativas do governo que simplificaram muito significativamente o ambiente de negócios”, afirmou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Barroso defende administração pública “amiga dos negócios”