Criptomoedas

BCE recomenda prudência com moedas virtuais

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu. Fotografia: REUTERS/Vincent Kessler
Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu. Fotografia: REUTERS/Vincent Kessler

Presidente do BCE assinala que tecnologia blockchain "pode melhorar a eficiência nas transações".

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, recomendou hoje prudência relativamente às criptomoedas, “porque não são apoiadas por nenhum banco central ou Governo”, e afirmou que não compete ao BCE regularizar as ‘bitcoin’.

Draghi acrescentou, num vídeo publicado hoje na página eletrónica do BCE, que o ‘blockchain’ – também designado de protocolo da confiança (inviolável) que permite a transação com moedas virtuais — “é uma tecnologia inovadora que pode melhorar a eficiência”.

“Estamos a estudar se poderemos utilizá-la nos nossos serviços no futuro”, disse.

Draghi respondia, numa entrevista em vídeo, a perguntas enviadas por jovens através das redes sociais Twitter e Facebook sobre a recuperação económica e o desemprego dos jovens na Europa, as criptomoedas e a tecnologia ‘blockchain’, ou a possibilidade de uma nova crise económica mundial.

O presidente do BCE confirmou que “a economia europeia registou vários anos de expansão ininterrupta e o nível de emprego é agora mais alto do que nunca”.

“Devemos continuar a melhorar e assegurar que todas as pessoas beneficiem dela”, salientou.

“A recente crise foi severa, mas o pior já passou. Os países europeus chegaram à crise com debilidades significativas e não conseguiram reagir adequadamente. Foram feitos progressos muito significativos em muitas áreas, o que nos faz estar mais bem preparados para o futuro”, concluiu o presidente do BCE.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento pode trazer novo alívio de 200 milhões de euros no IRS

Ponte 25 de Abril

Atrasos no concurso não comprometem arranque das obras na Ponte 25 de Abril

LEONARDO NEGRAO /Global Imagens

Grupo português investe 80 milhões na compra da Toys “R” Us Iberia

Outros conteúdos GMG
BCE recomenda prudência com moedas virtuais