Economia

Bélgica e Finlândia apoiam ideias de Macron para Europa mais forte

Foto: EPA/JULIEN DE ROSA
Foto: EPA/JULIEN DE ROSA

O apelo do Presidente francês, Emmanuel Macron, para uma Europa mais forte, num artigo em que propôs um “Conselho europeu de segurança interna” e um “banco europeu do clima”, recebeu hoje o apoio da Bélgica e da Finlândia.

A primeira-ministra da Finlândia, Juha Sipila, apoiou o apelo de Macron à “segurança, crescimento sustentável e uma política climática ambiciosa”, num artigo publicado na segunda-feira em 28 países.

“A União Europeia é capaz de tomar decisões e implementá-las”, acrescentou Sipila na rede social twitter.

O primeiro-ministro belga Charles Michel afirmou que aspirava particularmente a uma “Europa que protege a liberdade e a democracia”, revelou a agência Belga.

Contudo, em França, onde a popularidade de Macron tem vindo a cair desde a sua eleição, o artigo foi recebido com ceticismo.

Nadine Morano, da oposição republicana, afirmou que no artigo de Macron “a palavra França aparece apenas uma vez”.

“Isto é o Macronismo, a França tem de desaparecer neste federalismo europeu”, afirmou.

No artigo, Macron defendeu a formação de um “Conselho europeu de segurança interna que associe o Reino Unido”, para preparar “decisões coletivas da União Europeia (UE) na área da defesa.

O Presidente francês considerou que a UE deverá dotar-se de um “tratado de defesa e de segurança” que definirá as obrigações dos países da UE em ligação com a NATO e os seus aliados europeus da União: “aumento das despesas militares, cláusula de defesa mútua operacional, Conselho de segurança europeu associando o Reino Unido”.

O chefe do Eliseu propõe ainda um “Banco europeu do clima” para financiar a transição ecológica e ainda uma “revisão do espaço Schengen” para restabelecer “a liberdade em segurança”.

Macron preconizou em paralelo uma “polícia de fronteiras comum e um gabinete europeu de asilo, estreitas obrigações de controlo, uma solidariedade europeia com contribuição de cada país, sob autoridade de um Conselho europeu de segurança interna”.

As eleições para o Parlamento Europeu decorrem entre 23 e 26 de maio, realizando-se em Portugal a 26 de maio.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
16. Empregados de mesa

Oferta de emprego em alta no verão segura aumento de salários

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (Fotografia: José Coelho/ Lusa)

Marcelo aprova compra do SIRESP. Governo fica com “acrescidas responsabilidades”

draghi bce bancos juros taxas

BCE volta a Sintra para o último Fórum com Draghi na liderança

Outros conteúdos GMG
Bélgica e Finlândia apoiam ideias de Macron para Europa mais forte