Berlim e Viena criticam novas sanções dos EUA à Rússia que afetam gasoduto

Alemanha e Áustria consideraram que as sanções prejudicam a construção de um gasoduto através do Báltico e as empresas europeias.

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Sigmar Gabriel, e o chanceler austríaco, Christian Kern, criticaram hoje as novas sanções aprovadas pelo Senado norte-americano contra a Rússia.

Os responsáveis consideraram que as sanções prejudicam a construção de um gasoduto através do Báltico e as empresas europeias.

"Desde 2014, a Europa e os Estados Unidos responderam de modo consensual à violação do direito internacional pela Rússia com a anexação da (província ucraniana) Crimeia" , referem os dois políticos sociais-democratas num comunicado.

Consideram que as sanções aprovadas por Washington e a União Europeia devido ao conflito ucraniano foram "corretas", mas que as aprovadas agora pelo Senado dos Estados Unidos afetarão "empresas europeias, envolvidas no alargamento de um projeto destinado ao abastecimento energético".

Gabriel e Kern referem concretamente o projeto Nord-Stream II, no qual participa a Rússia, e do qual dependem "milhares de postos de trabalho", além do abastecimento energético da Europa.

O novo gasoduto duplicaria em 2019 a quantidade de gás russo que chega à Alemanha pelo Nord-Stream 1 através do Báltico.

A proposta de lei aprovada hoje pelo Senado ainda terá de ser analisada e aprovada pela Câmara dos Representantes, onde o seu futuro é incerto.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de