Black Friday ou Black Fraude? O teste da Deco

Novamente, a Associação do Consumidor alerta para eventuais "enganos" da Black Friday

Há um ano, a Deco alertava que muitos produtos anunciados como alvo de fortes descontos na Black Friday não eram mais do que um embuste. Os preços eram aumentados dias antes para logo depois os fazerem descer em fortes promoções. Este ano, a Associação volta a alertar, mas antes dos negócios serem feitos: Black Friday não pode ser Black fraude, alerta.

Para evitar enganos, a associação criou uma ferramenta que permite confirmar se a loja está mesmo a propor um bom negócio em produtos como eletrodomésticos ou tecnologia.

Este comparador permite analisar a variação do preço online durante os últimos 30 dias e, assim, perceber se este já esteve mais baixo do que o agora proposto.

"Imagine um televisor que custava 1099 euros. Dias antes da Black Friday subiu para 1799 euros, para ser vendido por 1439,20 euros no período promocional. Isto aconteceu na Black Friday do ano passado", conta a Associação, lembrando que há um ano investigou quase dois mil produtos e encontrou uma "manipulação generalizada".

Com a nova ferramenta, basta colocar o link onde encontrou o produto online ou o nome da loja e do produto. "Se houver histórico suficiente, surge um gráfico com a variação do preço nos 30 dias anteriores".

Agora que já sabe o que fazer, conheça o guia com as melhores sugestões para esta sexta-feira dos preços baixos.

A Deco adianta ainda que tem disponível comparadores que permitem ajudar a fazer uma seleção mais consciente dos produtos de acordo com o preço e qualidade testadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de