Bloco de Esquerda quer que Centeno recue na revisão do défice

O Bloco de Esquerda quer que o ministro das Finanças recue na intenção de ir além das metas do défice definidas por Bruxelas, avança o Público.

O Programa de Estabilidade vai dar entrada no Parlamento no final desta semana. E o Bloco de Esquerda, escreve esta quarta-feira o jornal Público, quer que o ministro das Finanças, Mário Centeno, recue na intenção de ir mais além que Bruxelas no que diz respeito ao défice. O partido quer que o Executivo use essa folga para investir em serviços públicos.

A diferença entre o Bloco de Esquerda e Governo é entre 600 milhões e 800 milhões de euros. Esta é o valor que separa, aproximadamente, o défice que foi definido no Orçamento do Estado para o ano de 2018 (1% e 1,1% com o impacto dos incêndios) e o défice que Mário Centeno inscreveu no quadro macroeconómico do Plano de Estabilidade (0,7%), que apresentou aos parceiros de esquerda numa reunião realizada na semana passada, escreve o Público.

O partido não entenderá, segundo o mesmo meio de comunicação, o motivo pelo qual o ministro das Finanças insiste numa revisão em baixa do défice e não concorda com a política prosseguida, em particular numa altura em que o Bloco de Esquerda defende que é necessário mais investimento em áreas como a saúde e a educação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de