Bragança, Beja e Lisboa são os distritos com os combustíveis mais caros

O preço do gasóleo subiu 2,7% em janeiro e o da gasolina 2,9%, face a dezembro, diz o boletim da ERSE sobre o mercado dos combustíveis. Aveiro, Viseu e Santarém são os distritos em Portugal continental com os preços mais baixos

O preço médio da gasolina simples 95 aumentou 2,9% em janeiro para 1,482 euros o litros, enquanto o do gasóleo subiu 2,7% para 1,321 euros o litro, comparativamente ao mês anterior. Dados do Boletim do Boletim do Mercado dos Combustíveis da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), e que aponta que, tanto na gasolina como no gasóleo, janeiro marcou o quinto aumento de preço consecutivo. Bragança, Lisboa e Beja são os distritos com os combustíveis mais caros, Aveiro, Viseu e Santarém são os que têm as ofertas mais baratas.

Os hipermercados continuam a ser os operadores com preços mais competitivos, com valores médios 13 cêntimos por litro abaixo do mercado nacional, indica a ERSE. No caso da gasolina, as cadeias da grande distribuição apresentam preços 3,2% abaixo dos operadores do segmento low cost e 8,6% abaixo das gasolineiras que operam sob insígnia de uma companhia petrolífera. No caso do gasóleo, os postos low cost têm preços, em média, 3,6% acima dos hipermercados e as gasolineiras de bandeira são 6,2% mais caras.

O aumento dos combustíveis advém da subida do preço do petróleo nos mercados internacionais, um agravamento da ordem dos 10% face ao mês de dezembro. Apesar das cotações se terem situado já acima dos 40 euros o barril, ainda assim estão abaixo do valor de fevereiro de 2020.

Mas continuam a ser os impostos a componente com maior expressão no preço de venda ao público dos combustíveis. A parcela de receitas para o Estado foi, em janeiro, de 63,8% do total da fatura da gasolina e de 57,6% no gasóleo. O preço da matéria-prima propriamente dito pesa, apenas, 20,8% no gasolina e 24% no gasóleo.

Em termos geográficos, Braga, Aveiro, Viseu e Santarém são os distritos mais baratos e Bragança, Lisboa, Beja e Portalegre os mais caros. Sublinha, no entanto, a ERSE que a diferença de preços médios por litros dos combustíveis rodoviários em Portugal continental é inferior a 5 cêntimos por litro, tanto para as gasolinas como para os gasóleos.

Já nos Açores e na Madeira vigora um regime de preços máximos. No caso da Madeira a gasolina simples não pode ir além dos 1,386 euros o litro, 6,9% abaixo da média nacional, enquanto nos Açores o máximo é de 1,3 euros, menos 14%. No gasóleo, os madeirenses pagam, no máximo, 1,180 euros por litro, menos 11,9% do que média. Nos Açores não vai além de 1,079 euros, menos 22,4% que o valor médio em Portugal continental.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de