União Europeia

Brexit: Empresas portuguesas são as mais pessimistas da Europa

Os empresários portugueses temem a saída do Reino Unido da União Europeia- Fotografia: D.R.
Os empresários portugueses temem a saída do Reino Unido da União Europeia- Fotografia: D.R.

Portugal é o país europeu onde um maior número de empresas receia que uma União Europeia fragilizada possa afetar os negócios

As empresas portuguesas são as mais pessimistas da Europa relativamente à saída do Reino Unido da União Europeia, o denominado Brexit, revela o relatório anual European Payment Report 2018 da Intrum.

Em comunicado, a Intrum adianta que “Portugal é o país europeu onde o maior número de empresas (54%) receia que uma União Europeia fragilizada possa afetar negativamente os seus negócios”.

De acordo com o relatório anual, que analisa o comportamento de pagamentos das empresas e do Estado, as empresas portuguesas são as que estão mais pessimistas em relação ao Brexit.

“Das empresas portuguesas inquiridas, 54% afirmam esperar que uma União Europeia enfraquecida afete os seus negócios de forma negativa. Uma postura mais pessimista, quando comparada com a média europeia, em que 23% das empresas partilham o mesmo sentimento”, refere o estudo.

Além de Portugal, a Grécia (50%), Irlanda (45%) e a República Checa (42%) integram os países mais apreensivos com o efeito do Brexit, sendo que dos 20 países inquiridos, apenas a Noruega acredita que o impacto da saída do Reino Unido da UE será mais positivo (7%) que negativo (6%), mas apenas por uma pequena margem.

“A Suíça e o Reino Unido são os únicos países em que as respostas positivas atingem os dois dígitos, com 13% e 25%, respetivamente, valor muito superior à média dos restantes países que partilham este sentimento (4%)”, refere a Intrum, acrescentando, não obstante, que “a principal tendência, com 53% das respostas, é a de que os efeitos do Brexit não irão de modo algum afetar os seus negócios”.

“A apreensão das empresas portuguesas é natural, mas esta postura negativa face ao Brexit tenderá a esbater-se com o tempo. Por outro lado, apesar da maioria das empresas europeias inquiridas considerarem que o Brexit não terá impacto nos seus negócios, o European Payment Report 2018 revela também que os países mais pessimistas consideram que o impacto será maioritariamente negativo”, afirma o diretor-geral da Intrum Portugal, Luís Salvaterra, citado em comunicado.

O European Payment Report 2018 baseia-se numa pesquisa realizada simultaneamente em 29 países europeus, entre 24 de janeiro e 23 de março de 2018, tendo neste relatório sido reunidos dados de um total de 9.607 empresas em toda a Europa para compreender o comportamento dos pagamentos e a saúde financeira das empresas europeias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Estado ‘devolve’ em deduções 60% do Adicional ao IMI que cobra

Amoreira Óbidos

Espanha desapareceu do mapa e França descobriu o velho oeste português

António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

EDP quer exportar tecnologia do maior parque eólico flutuante do mundo

Outros conteúdos GMG
Brexit: Empresas portuguesas são as mais pessimistas da Europa