Brexit

Brexit: Governo britânico tenta compromisso com oposição

Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido.  (REUTERS/Yves Herman)
Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido. (REUTERS/Yves Herman)

Theresa May e Jeremy Corbyn vão negociar pelo menos mais uma semana. Balanço será feito depois do domingo de Páscoa.

As discussões entre o Governo britânico e a oposição trabalhista para um compromisso sobre o ‘Brexit’ vão continuar na próxima semana, para “fazer um balanço”, após o domingo de Páscoa, disse este domingo o vice-primeiro-ministro, David Lidington.

As negociações, que começaram no início deste mês, “certamente continuarão na próxima semana”, disse Lidington à BBC.

O braço direito de Theresa May afirmou que tinha acordado com John McDonnell “um programa de reuniões na próxima semana” entre membros do Governo e líderes do Partido Trabalhista “para discutir coisas como normas de proteção do ambiente, direitos dos trabalhadores e relações de segurança entre o Reino Unido e a União Europeia (UE)”.

Lidington disse esperar “fazer um balanço da situação assim que o parlamento retomar os trabalhos depois das férias da Páscoa”, sublinhando que “a questão não pode arrastar-se mais”.

O vice-primeiro-ministro explicou que se não for alcançado um compromisso com a oposição, o Governo apresentará no parlamento uma série de opções sobre o ‘Brexit’, obrigando aquele órgão a tomar decisões, “vez de votar contra tudo”.

“O Governo então implementará a vontade do parlamento”, declarou.

Na quinta-feira passada, a primeira-ministra britânica exortou os deputados a apoiarem um compromisso entre partidos “no interesse nacional”, já que o parlamento votou três vezes contra o acordo proposto pelo Governo com a União Europeia.

Originalmente programado para 29 de março passado e depois adiado para 12 de abril, o ‘Brexit’ foi programado para 31 de outubro, para dar oportunidade ao Governo de evitar uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo entre as partes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

(João Silva/ Global Imagens)

Há quase mais 50 mil imóveis de luxo a pagar AIMI

Angela Merkel e Donald Trump. Fotografia: REUTERS/Kevin Lamarque

FMI corta crescimento da Alemanha, mas Espanha ainda compensa

Outros conteúdos GMG
Brexit: Governo britânico tenta compromisso com oposição