estudo

Brexit já tem impacto negativo nos negócios

Foto: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
Foto: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Mais de dois terços dos empresários afirmam ter agido para minimizar o impacto do Brexit. Destes, 10% vão retirar os negócios do país.

Mais de metade dos empresários britânicos defendem que o Brexit já teve um impacto negativo nas suas atividades. Ainda assim, a maioria está confiante que sobreviverá à mudança. As conclusões são de um estudo publicado esta segunda-feira pela Ipsos Mori, citado pela Reuters.

Embora a economia britânica tenha tido um desempenho melhor do que o esperado na sequência do Brexit, 58% dos inquiridos – mais de 100 responsáveis de empresas do grupo das 500 maiores do país – sentiram o impacto do voto a favor da saída da União Europeia.

De acordo com o responsável da Ipsos Mori, Ben Page, “32% dos inquiridos acreditam que vão começar a sentir os efeitos positivos da saída da União Europeia nos seus negócios dentro de cinco anos”. Ainda assim, 45% acreditam que o impacto a longo prazo será negativo.

Mais de dois terços dos empresários afirmaram já ter agido no sentido de minimizar o impacto do resultado do referendo de junho. Dos que tomaram ações efetivas, 10% vão retirar os negócios do país.

Entre as ações destacam-se ainda a implementação de planos de contingência e a análise do impacto dos diferentes tipos de relacionamento que podem resultar, para o Reino Unido, após a negociação das condições da saída da União Europeia.

Recorde-se que os empresários constituíram um dos mais fortes grupos de apoio ao voto pela permanência, sob o argumento de o mercado único favorecer o crescimento das empresas e, consequentemente, da economia, lembra a Reuters.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Brexit já tem impacto negativo nos negócios