Brexit

Brexit: Londres e Bruxelas chegam a acordo

EPA/WILL OLIVER
EPA/WILL OLIVER

O primeiro-ministro britânico e o presidente da Comissão Europeia já revelaram que foi alcançado um acordo para a saída do Reino Unido da UE.

O Reino Unido e a União Europeia alcançaram um acordo para a saída de Londres do bloco económico. A notícia foi dada pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e por Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, na rede social Twitter. O ainda presidente da Comissão Europeia fala de “um acordo justo e equilibrado para a UE e para o Reino Unido” e recomenda aos líderes europeus que votem favoravelmente o documento.

Na missiva enviada ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, Jean-Claude Juncker diz, citado pelo The Guardian, que “no que diz respeito ao acordo de saída propriamente dito, as negociações focaram-se no protocolo Irlanda/Norte da Irlanda [ou seja, o chamado backstop] e procuramos identificar uma solução que fosse mutuamente satisfatória para abordar as circunstâncias específicas da ilha da Irlanda”.

(veja aqui o tweet com o anúncio de Juncker)

(veja aqui o tweet com o anúncio de Boris Johnson)

“Os negociadores debateram a declaração política que estabelece o enquadramento para relação futura entre a União Europeia e o Reino Unido. O seu objetivo era ajustar a declaração política de uma forma que reflete o diferente nível de ambição procurado agora pelo governo do Reino Unido para a futura relação do país com a União Europeia”.

Parlamento britânico ainda tem de aprovar

O Conselho Europeu reúne-se a partir desta quinta-feira à tarde em Bruxelas. O acordo agora alcançado entre Londres e Bruxelas para a saída do Reino Unido do bloco económico tem de ser aprovado pelos líderes europeus. E no próximo sábado pelo parlamento britânico. Para que o documento tenha luz verde da Câmara dos Comuns no fim-de-semana, Boris Johnson tem de conseguir assegurar o apoio de uma maioria dos membros do parlamento. Sendo que o primeiro-ministro britânico perdeu algum apoio desde o verão.

O apoio do Partido Democrático Unionista da Irlanda do Norte (DUP) é por isso fundamental para que o documento seja aprovado no parlamento. Esta manhã, o DUP disse que “tal como estão as coisas” não pode aceitar o pacto que Londres está a negociar com a União Europeia. Uma posição que foi entretanto reafirmada. Fonte interna do DUP citada pela agência France-Presse e pela Lusa disse, após o anúncio de um acordo pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e pelo presidente da comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que o comunicado emitido hoje de manhã “continua a refletir a posição” do partido.

Por outro lado, o partido Trabalhista de Jeremy Corbyn já fez saber que está contra o acordo alcançado entre Londres e Bruxelas e pede que o documento seja sujeito a referendo. “Pelo que sabemos, parece que o primeiro-ministro negociou um acordo ainda pior do que o de Theresa May, que foi esmagadoramente rejeitado”, declarou o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, num comunicado, citado pela Lusa. O líder trabalhista defende que o acordo “deve ser rejeitado” que “a melhor forma de resolver o Brexit é dar às pessoas a palavra final numa votação pública”.

(Notícia atualizada às 11:50 pela última vez)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP

Exportações e turismo afundam 9,6% e geram recessão de 2,3% no 1º trimestre

Cartões de crédito e débito. Fotografia: Global Imagens

Malparado: 10% das famílias com crédito está em incumprimento

Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Um quarto das empresas de alojamento e restauração está em incumprimento

Brexit: Londres e Bruxelas chegam a acordo