Brexit

Reino Unido estuda criação de “visto do tijolo” para trabalho pouco qualificado

Para colmatar a falta de profissões como pedreiros ou canalizadores, a associação Migration Watch propôs a criação de um visto temporário

A saída do Reino Unido da União Europeia deverá levar milhares de trabalhadores a abandonar o país nos próximos anos. Entre alguns dos mais afetados, estarão os profissionais da construção civil.

Para colmatar a falta de profissões como pedreiros ou canalizadores, a associação Migration Watch propôs ao Governo britânico a criação de um visto temporário durante um período de transição.

O ‘brickie visa’, ou ‘visto do tijolo’, em tradução livre, teria a duração de um ano, sendo prolongável, no máximo, até três anos. Os empregadores ficariam sujeitos a pagar uma taxa por cada trabalhador contratado no estrangeiro, e seriam ainda obrigados a provar que teriam tentado, sem sucesso, recrutar no Reino Unido.

Segundo a Migration Watch, que defendeu o Brexit, “os vistos serviriam para suprir uma necessidade real do país durante alguns anos”. A proposta inclui ainda a criação de “incentivos financeiros para formar trabalhadores britânicos” para aquele tipo de funções.

Segundo a Bloomberg, que cita dados da Confederação britânica do Recrutamento e Emprego, várias empresas de setores como a restauração já admitiram que teriam dificuldades em contratar caso tivessem de depender apenas de trabalhadores britânicos.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, que está em campanha eleitoral para as eleições legislativas de 8 de junho, prometeu reduzir o número de imigrantes a “dezenas de milhares” de pessoas.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa (E) e Charles Michel (D). Fotografia: EPA/JOHN THYS

Costa. Orçamento de Charles Michel é para os “países forretas”

Lisboa, 31/1/2020 - Os trabalhadores da administração pública realizam esta tarde uma manifestação nacional na sequência de uma greve nacional, a primeira da atual legislatura, convocada por  várias organizações sindicais da CGTP e da UGT.
(Reinaldo Rodrigues/Globalimagens)

Governo sobe aumentos extra para dez euros. “Resposta é a luta”.

A companhia portuguesa teve ontem de colocar os viajantes noutros voos. foto: Global Notícias

TAP estuda soluções para passageiros nos voos com Venezuela

Reino Unido estuda criação de “visto do tijolo” para trabalho pouco qualificado