Comissão Europeia

UE admite que carros a gasolina e diesel possam deixar de ser vendidos em 2040

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

A visão estratégica da Comissão Europeia para uma economia de emissões zero a meio deste século sugere profundas mudanças no setor automóvel.

O setor automóvel pode sofrer uma mudança profunda até meio deste século. As construtoras automóveis com carros a diesel e a gasolina podem vir a ter de se preparar para uma eventual diminuição da sua quota de mercado.

Bruxelas publicou esta quarta-feira, 28 de novembro, a sua visão estratégica para um futuro de emissões zero em 2050. De acordo com o jornal espanhol Expansión, a Comissão Europeia analisou oito caminhos possíveis para uma redução de pelo menos 80% das emissões líquidas de gases com efeito de estufa em 2050.

Dessas oito possibilidades, apenas duas se traduzem numa diminuição para zero, que é o cenário preferido de Bruxelas. Sendo que, essas duas possibilidades são sinónimo de um uso reduzido de automóveis a diesel e gasolina, adianta o jornal.

“Nos cenários que alcançam emissões líquidas de zero em 2050, a quota de veículos com bateria elétrica e baterias de hidrogénio alcançariam 96% do total, sendo as emissões de CO2 dos carros novos de 0g de CO2/km de 2040 para a frente”, indica o relatório da Comissão Europeia, citado pelo Expansión.

Isto significa, segundo fontes comunitárias do jornal, que em 2039 seriam vendidos os últimos carros a diesel e a gasolina na União Europeia.

Ainda assim, é necessário ter em conta que isto trata-se de um cenário e não uma proposta legislativa. E caso se venha a tornar uma proposta legislativa vai ter de ter luz verde quer dos estados-membros quer do Parlamento Europeu.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

OCDE. Famílias portuguesas podem perder 50% do rendimento se vier uma nova crise

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

OCDE. Famílias portuguesas podem perder 50% do rendimento se vier uma nova crise

Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Outros conteúdos GMG
UE admite que carros a gasolina e diesel possam deixar de ser vendidos em 2040