Comissão Europeia

Bruxelas pode retirar do défice gastos com incêndios

Fotografia: Miguel A. Lopes / Lusa
Fotografia: Miguel A. Lopes / Lusa

A Comissão Europeia admite não incluir no cálculo do défice deste ano, as verbas gastas com eventuais apoios de emergência.

A Comissão Europeia admite não incluir as no cálculo do défice deste ano, as verbas gastas com eventuais apoios de emergência, na sequência dos incêndios. O caso dos incêndios do fim de semana ainda não foi estudado em particular, mas a possibilidade existe e Bruxelas já o assumiu.

“De acordo com as regras europeias, custos de emergência de curto prazo, em resposta a grandes catástrofes naturais podem ser classificadas como irrepetíveis”, assegurou hoje a porta-voz para os assuntos económicos e Financeiros, Annika Breidthardt, frisando porém que isto “é o que se pode dizer em geral”, tendo em conta que “ainda não há nada de específico até agora”.

Ao considerar “irrepetível” a despesa do Estado com ajuda de emergência, permite que esta “possa ser excluída do cálculo do esforço do Estado-Membro para o ajustamento estrutural, quando for considerada de acordo e em cumprimento com o pacto de estabilidade e crescimento”, esclareceu a porta-voz.

No âmbito da proteção civil, Bruxelas diz-se disponível para prestar toda a ajuda que vier a ser solicitada. O porta-voz para ajuda humanitária e proteção civil, Carlos Martin garante que a resposta europeia foi imediata.

“Até agora fornecemos sete aeronaves de combate ao fogo. Foram enviados imediatamente de França, Itália e Espanha, aqueles que têm canal através do mecanismo europeu de proteção civil”, afirmou, frisando que “os aviões já tiveram a atuar em Portugal e vão operar nas áreas de Leiria, Vila Real e Coimbra. Os aviões franceses já atuaram o domingo”.

“Relativamente aos bombeiros, posso confirmar que Espanha enviou uma centena de bombeiros para a área [afetada]”, acrescentou o porta-voz, manifestando ainda a disponibilidade de Bruxelas para ajudar a coordenar “ofertas de assistência adicional proveniente dos Estados-Membros que participam neste mecanismo”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Patrick Drahi, fundador da Altice

Altice. Dona da PT confirma conversações para compra da TVI

Tesouro italiano coloca milhões a taxas de juros mínimas

Governo italiano aprova resgate de dois bancos à beira da falência

António Serrano, nos estúdios da TSF. Professor catedrático e político português, foi Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XVIII Governo Constitucional de Portugal.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

António Serrano: “É preciso um choque de gestão no território florestal”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Bruxelas pode retirar do défice gastos com incêndios