Falha informática corta apoios a 1800 desempregados

Outros 2 800 beneficiários vão ter de devolver valores que receberam a mais.

Cerca de 1800 beneficiários do apoio extraordinário ao rendimento dos trabalhadores (AERT) sofreram neste mês cortes no valor que deviam receber devido a uma falha informática. Há também 2800 casos de montantes pagos acima do previsto, que terão de ser devolvidos.

A falha afeta quem recebia subsídio social de desemprego até ao fim de 2020 e que, neste ano, mantendo-se sem emprego, tem direito a seis meses de apoio equivalente ao valor da prestação a que tinha direito. Os erros afetam o apoio relativo ao mês de maio.

De acordo com os desempregados ouvidos pelo DN/Dinheiro Vivo, há casos de beneficiários com pagamentos de 50 euros. Na sequência de queixas, receberam dos centros distritais da Segurança Social a informação de "que foi detetado um bug aplicacional no AERT que afetou os pedidos", e que haverá pagamento extra para regularizar valores.

O Instituto da Segurança Social confirma novo pagamento que deve chegar às contas dos beneficiários na próxima segunda-feira, e esclarece também que "existiu um constrangimento que gerou o cálculo incorreto do apoio para alguns beneficiários com prestações de Subsídio Social de Desemprego terminadas a 31 de dezembro de 2020".

"Para cerca de 1800 beneficiários, o valor processado e enviado para pagamento foi inferior ao do mês de abril", indica, indicando que está já "em curso um novo processamento esta quinta-feira para pagamento do diferencial, que ficará [hoje] disponível para consulta na Segurança Social Direta dos beneficiários e será pago no próximo dia 21 de junho (segunda-feira)", segundo refere em resposta. Já relativamente aos 2800 desempregados que receberam valores acima do previsto, diz estar "a avaliar a forma de compensação no mês seguinte".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de