Burlas online disparam 71% em janeiro. São 20 por dia

Só em janeiro, com base na amostra de queixas de consumidores registadas, o Portal da Queixa estima perdas de mais de 100 mil euros.

Em menos de nada Bruno Pinto viu desaparecer da sua conta 1650 euros, depois de ter associado a sua conta de MBWay a um número que chegou por SMS. Era um burlão. Foi uma das 621 reclamações que só em janeiro chegaram ao Portal da Queixa, um disparo de 71% face ao início do ano passado. Estima-se perdas de mais de 100 mil euros para os consumidores.

"O aumento da procura através dos canais digitais, por parte dos consumidores portugueses, é uma tendência que veio para ficar, criando pressão sobre as marcas ao exigirem a digitalização da grande maioria dos seus serviços. Esta nova realidade, veio potenciar os perigos que se escondem nas compras online. Para combater este problema, temos em marcha um movimento cívico que tem como objetivo aumentar a literacia digital e financeira junto dos consumidores portugueses, educando a sociedade de consumo para não cair em esquemas de fraude e burlas online", afirma Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa.

O ano passado, só no Portal da Queixa foram registadas 5786 reclamações relacionadas com burlas online, um aumento de 69% face ao ano de 2019, onde foram apresentadas pelos consumidores 3415 queixas. Foi um ano em que o confinamento da sociedade e as restrições de circulação impostas pelo contexto pandémico fizeram disparar as compras online e com isso um aumento das burlas efetuadas por essa via.

E, a avaliar pelo início de 2021, este ano esta tendência de crescimento não dá sinais de abrandar. Em janeiro, no Portal chegaram por dia em média 20 reclamações sobre alegadas burlas. Em 31 dias foram 621 reclamações, um ano antes tinha sido apenas 363. Uma subida de 71%. E perdas avultadas para os consumidores. "Com base na amostra recolhida, referente ao mês de janeiro, o valor total resultante das burlas online ultrapassa os 100.000 euros", informa o Portal da Queixa, quando questionado pelo Dinheiro Vivo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de