Caixa Geral de Depósitos executa Isabel dos Santos

Ação judicial deu entrada no Tribunal de Lisboa e o banco público exige 6,237 milhões de euros

A Caixa Geral de Depósitos avançou com uma ação no Tribunal de Lisboa para executar a empresária angolana Isabel dos Santos e a Kento Holding Limited, a sua empresa de Malta que é acionista da NOS, através da Zopt, sociedade detida por Isabel dos Santos em parceria com a Sonae.

A ação deu entrada esta quinta-feira, 25 de março, e a notícia foi avançada pelo Expresso, que destaca tratar-se do terceiro processo do banco público contra a empresária angolana no menos de seis meses. A CGD reclama 6,237 milhões de euros.

A Kento foi a holding usada por Isabel dos Santos, em 2009, para entrar na empresa de telecomunicações Zon, uma aquisição financiada com recurso a um empréstimo da CGD. A empresária angolana comprou, então, também a posição da CGD na Zon, ficando com 30% do capital da empresa de telecomunicações que, em 2014, foi alvo de uma fusão com a Optimus e deu origem à NOS.

Para ficarem com o controlo da Nos, Isabel dos Santos e Sonae criaram a Zopt, uma empresa veículo detida em partes iguais pela Sonae e pela Kento e Unitel International, de Isabel dos Santos. A Zopt é a maior acionista da NOS, com 52,15% do capital, participação que está arrestada pela justiça angolana no âmbito das investigações a Isabel dos Santos.

A semana passada, Cláudia Azevedo, presidente executiva da Sonae, classificou a decisão do procurador angolano como "um erro" e sublinhou que o grupo está "na expectativa" que "seja corrigido" o arresto de bens da ZOPT para que a parceria com a empresária angolana Isabel dos Santos seja dissolvida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de