Hotelaria

Câmara abre a porta a hotel no antigo Sintra Cinema na Portela

Basílio Horta, presidente da  Câmara de Sintra
Basílio Horta, presidente da Câmara de Sintra

O projeto, que incluirá uma Loja do Cidadão, substituirá a construção de um silo-automóvel previsto para o espaço.

O antigo Sintra Cinema, no bairro da Portela, deverá ser adaptado para hotel, associado a uma superfície comercial e um auditório para atividades culturais, segundo um projeto hoje apresentado no departamento de Urbanismo da autarquia.

O projeto “Sintra Auditorium” prevê a adaptação do antigo Sintra Cinema, equipamento construído na década de 1940, para uma unidade hoteleira com uma área de 3.525 metros quadrados (m2), para 54 quartos e 108 camas, de acordo com o pedido de informação prévia aprovado pela autarquia.

Uma superfície comercial com 1.500 m2 no piso térreo, que se prolonga num corpo edificado horizontal para o terreno de uma vivenda abandonada, na Rua Álvaro de Vasconcelos, dois pisos de estacionamento em cave, para 93 viaturas, e um auditório com 800 m2, para 200 lugares, completam o projeto.

“Isto é projeto de requalificação urbana e é a transformação do icónico Sintra Cinema no Sintra Auditorium”, salientou o arquiteto Salvador Martins, acrescentando que a intervenção procurou olhar para “todo o quarteirão” em que o antigo cinema está inserido.

O projetista considerou que “seria redundante” manter o auditório no espaço do Sintra Cinema, onde se localizará a entrada nobre do hotel e quartos, pelo que se manterá apenas a histórica fachada e o auditório será transferido para um novo corpo com a imagem do antigo equipamento cultural, mas numa “forma mais contemporânea”.

Além da definição de raios de viragem e espaços de largadas de passageiros, numa zona rodoviária frequentemente congestionada, o arquiteto destacou a preservação do equilíbrio entre o Sintra Cinema e os alinhamentos do quarteirão.

“Esta operação contempla uma oferta de comércio, uma unidade hoteleira, que não existe e que fazia falta à Portela de Sintra, e um auditório que aporta uma oferta cultural também inexistente, substituindo a do velho Sintra Cinema, que está inativo há cerca de 50 anos”, frisou José Justino.

O sócio-gerente da empresa Valreal mostrou-se satisfeito por o projeto permitir recuperar um imóvel com “uma utilização financeiramente viável, o que não se apresentava fácil”.

O promotor espera que o projeto, “além da reabilitação do próprio quarteirão em que se encontra, venha a ter um efeito catalisador na oferta de serviços de apoio e complementares, criando mais de uma centena de postos de trabalho diretos e indiretos e uma nova dinâmica do próprio bairro da Portela”.

O também presidente da empresa Galucho explicou que o pedido de licenciamento será entregue em breve na autarquia e que o auditório será utilizado pela câmara, apesar de ainda não estar “definido o modo de cedência” do espaço.

O gerente da Valreal disse ainda não dispor de uma estimativa do investimento do projeto, que será financiado pela parte hoteleira e comercial, e assegurou que “foram feitos estudos de tráfego que indicaram que não havia sobrecarga de circulação” na zona.

“A câmara não pode conviver com o abandono de zonas nobres, que devem ser requalificadas e devolvidas à população”, afirmou o presidente da autarquia, no distrito de Lisboa, que classificou o projeto como uma parceria entre “o interesse privado e o interesse da comunidade”.

Segundo Basílio Horta (PS), o auditório funcionará “também como um teatro municipal”, onde os grupos do concelho possam ensaiar e levar ao palco o seu programa.

O autarca confia na capacidade de o projeto mostrar aos empresários que “a câmara está ao seu lado” e anunciou que, no espaço do departamento de urbanismo, será criada “a cidade administrativa de Sintra”, concentrando todos os serviços municipais dispersos pela vila.

O projeto, que incluirá uma Loja do Cidadão, substituirá a construção de um silo-automóvel previsto para o espaço, abandonado por não se mostrar viável do ponto de vista financeiro.

O projeto do “Sintra Auditorium” está inserido no perímetro da Área de Reabilitação Urbana (ARU) do centro histórico de Sintra.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Desemprego de longa duração disparou

Subsídio extra vai chegar a 13 mil desempregados de longa duração

O Fórum Económico Mundial reúne em Davos, uma pequena comuna suíça, líderes mundiais na área dos negócios, economia e política (EPA/GIAN EHRENZELLER)

Lotação esgotada em Davos para conhecer Portugal

Christine Lagarde. Fotografia: REUTERS/Denis Balibouse

FMI. Christine Lagarde elogia cluster Autoeuropa no fórum de Davos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Câmara abre a porta a hotel no antigo Sintra Cinema na Portela