Autarquias

Câmara de Lisboa cede terreno para carros de Madonna

A autarquia da capital cedeu um terreno onde os 15 veículos da equipa que acompanha a cantora possam ser estacionados

A Câmara Municipal de Lisboa cedeu um terreno na capital para ser usado como parque de estacionamento dos carros da equipa que acompanha Madonna. A residência da cantora pop é na zona de Santos, em Lisboa, e como muitos dos moradores daquela área, o estacionamento é uma dor de cabeça. A situação torna-se ainda mais complexa quando a equipa que acompanha Madonna utiliza 15 carros, de acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso.

Madonna já não terá, contudo, esse problema. A Câmara de Lisboa cedeu-lhe um terreno onde os automóveis da equipa que a acompanham possam ser estacionados, escreve o semanário. Este espaço está localizado nas traseiras do Palácio Pombal, construído no início do século XIX e que é propriedade da autarquia lisboeta. A Câmara de Lisboa confirmou ao jornal um “acordo de cedência de espaço de estacionamento nas traseiras do Palácio Pombal”.

“O espaço agora cedido – apenas durante um período limitado enquanto decorrem as obras nos prédios na Rua das Janelas Verdes – já foi disponibilizado a outras entidades, nomeadamente ao Ministério da Cultura até dezembro de 2017”, refere a Câmara ao Expresso. A autarquia garantiu que, quando o empréstimo terminar, será cobrada uma verba correspondente à renda, embora não tenha avançado com valores.

Apesar da solução já ter sido encontrada, este palacete não era a primeira opção da Câmara, relata o Expresso. A autarquia liderada por Fernando Medina queria que o espaço de estacionamento reservado ao Museu Nacional de Arte Antiga, que fica nas proximidades do palacete onde Madonna está a morar, lhe fosse cedido como parque privativo. No entanto, o museu recusou o pedido, o que levou a Câmara a encontrar outra solução que acabou lhe foi sugerida pelo diretor do Museu, António Filipe Pimentel.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Câmara de Lisboa cede terreno para carros de Madonna