Câmara de Sintra investe 26 milhões de euros para requalificação do espaço público

Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra
Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra

A Câmara de Sintra anunciou hoje que vai investir cerca de 26 milhões de euros em obras na rede de saneamento, na recuperação de estradas e na requalificação da zona costeira.

O anúncio foi feito ao final da manhã pelo presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), que justificou a necessidade de intervir “urgentemente” em alguns espaços públicos do concelho.

Está previsto que todas as obras se iniciem ainda durante este ano.

Leia também: Câmara de Barcelos pede medidas para esbater “ponto negro” na EN-103

O maior investimento vai ser levado a cabo pelos Serviços Municipalizados de Sintra (SMAS), que no total vão investir 24 milhões de euros, sobretudo na construção de novas condutas e na remodelação de redes de água e esgotos em algumas freguesias do concelho.

“É inadmissível que em pleno século XXI exista num concelho próximo de Lisboa zonas onde não existe saneamento e em que o abastecimento de água não é regular”, apontou o autarca.

Basílio Horta explicou que grande parte do investimento dos SMAS irá ser para o saneamento da zona oeste do concelho, nomeadamente nas localidades da Assafora e das Azenhas do Mar.

A recuperação da rede rodoviária do concelho será outra das prioridades de investimento do executivo, que irá alocar para o efeito 625 mil euros.

Uma das medidas neste âmbito será o tapamento de todos os buracos das estradas.

A requalificação das zonas costeiras está também abrangida por este plano de investimentos, sendo a praia Grande aquela com maior urgência de intervenção.

Na praia Grande o executivo pretende investir cerca de 1,5 milhões de euros no reforço da frente de proteção, na requalificação de toda a frente de praia e na recuperação do acesso sul, onde existem pegadas de dinossauros.

Basílio Horta anunciou ainda que a autarquia vai proceder, pela primeira vez, à varrição de alguns locais da freguesia Algueirão/Mem Martins, contratando para o efeito 50 pessoas que se encontram inscritas no Instituto de Emprego.

“Podia ter sido feito por outsourcing (contratação externa), mas nós não quisemos. Havendo desemprego no concelho, entendemos que devíamos ajudar a combater esse desemprego”, justificou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Combustíveis

Petróleo sobe em flecha. “Não haverá impacto perturbador nas nossas algibeiras”

Outros conteúdos GMG
Câmara de Sintra investe 26 milhões de euros para requalificação do espaço público